PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Bolsonaro passou a usar máscaras para não perder votos, diz Marina Silva

De máscara, presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou de cerimônia - Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo
De máscara, presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou de cerimônia Imagem: Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

11/03/2021 13h12

A ex-candidata à Presidência da República Marina Silva (Rede-AC) avaliou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) passou a usar máscara "para evitar a perda de votos" nas eleições de 2022.

A declaração acontece após Bolsonaro aparecer em cerimônia no Palácio do Planalto utilizando o acessório, até então refutado pelo presidente.

"Bolsonaro que se recusava usar máscara para evitar a perda de vidas, passou a usar agora para evitar a perda de votos", afirmou Marina Silva, que já foi senadora pelo Acre e ministra do Meio Ambiente, no primeiro governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A postura também foi comentada por outros políticos. "Bolsonaro apareceu de máscara para esconder o desespero. Tem nada a ver com o covid", disse Marcelo Freixo (PSOL-RJ).

O senador Humberto Costa (PT-PE) afirmou que Bolsonaro de máscara foi um efeito do discurso do ex-presidente Lula, ocorrido ontem, em São Bernardo do Campo, após anulação das sentenças condenatórias na operação Lava Jato.

"Lula já fez Bolsonaro trabalhar mais em um dia do que tudo que ele fez em 2 anos. Até máscara ele começou a usar", analisou o parlamentar.

Bolsonaro e o uso das máscaras

No dia em que o Brasil registrou 1.582 novas mortes por covid-19, em 25 de fevereiro, o presidente optou por questionar o uso de máscaras e o isolamento social.

Citando um suposto estudo feito na Alemanha, sem dizer qual, Bolsonaro afirmou, durante sua live semanal, que as máscaras são "prejudiciais" às crianças, causando irritabilidade, dor de cabeça e dificuldade de concentração, por exemplo. O presidente evitou entrar em detalhes porque, segundo ele, "tudo deságua em crítica sobre mim", mas afirmou ter sua própria "opinião" sobre o equipamento de proteção.

Apesar dos questionamentos de Bolsonaro, o uso de máscaras só não é recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) para crianças abaixo de 5 anos, segundo orientações publicadas em agosto do ano passado. Já a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) não indica o uso da proteção para menores de 2 anos, por risco de sufocamento.

Dentre as principais orientações, o uso da máscara facial é essencial, principalmente em ambientes fechados. Já foi comprovado que a utilização do acessório é essencial para retardar a contaminação em massa.

Política