PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

'Não podia esperar um 10 a 0', diz autor de pedido do impeachment de Witzel

Deputado estadual Luiz Paulo foi um dos autores do pedido de cassação de Wilson Witzel - Rai Aquino/Colaboração para o UOL
Deputado estadual Luiz Paulo foi um dos autores do pedido de cassação de Wilson Witzel Imagem: Rai Aquino/Colaboração para o UOL

Rai Aquino

Colaboração para o UOL, no Rio

01/05/2021 10h46Atualizada em 02/05/2021 16h27

O deputado estadual Luiz Paulo (Cidadania) disse hoje que se surpreendeu com o placar de 10 a 0 no julgamento do impeachment do então governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

Luiz Paulo foi um dos autores do pedido de impeachment contra o ex-juiz federal, ao lado da deputada Lucinha (PSDB).

"Não podia esperar um 10 a 0, mas era esperado que ele fosse condenado. Tinha muita convicção, quando fiz o pedido de impeachment com a deputada Lucinha, de que ali tinha se instalado uma estrutura que denominei de putocracia corrupta", afirmou o parlamentar.

No pedido, Luiz Paulo e Lucinha alegaram irregularidades na requalificação do Instituto Unir e na contratação de outras organizações sociais durante o combate à pandemia do novo coronavírus no estado.

As provas eram, no meu entendimento, muito robustas, principalmente no caso da Unir. Ele foi o autor do ato que ele requalificou e do escandaloso do Iabas pelo tamanho daquele contrato
Luiz Paulo

Novo governo

Presente na sessão de posse do governador Cláudio Castro (PSC), na manhã de hoje, na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), Luiz Paulo disse que o chefe do Executivo fluminense terá uma importante fatia de recursos vindos do leilão da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos), realizado ontem, na Bolsa de Valores de São Paulo.

O governo do estado arrecadou R$ 22,7 bilhões com a concessão. O valor ficou 133% acima do mínimo esperado, em média, que era de R$ 10,6 bilhões.

"Ele está assumindo hoje como governador e vai amealhar os cofres do estado com R$ 12 bilhões oriundos da parte do estado do leilão da Cedae de ontem. A gente sempre deseja êxito ao novo governo, mas estaremos aqui de fiscal dos atos do Executivo, principalmente de olho na execução orçamentária", prometeu o político.

Witzel x Alerj

Eleito na onda bolsonarista que varreu as eleições de 2018, Witzel manteve uma relação distante com os deputados estaduais desde que assumiu o estado. Durante seu mandato, o ex-juiz federal foi visto pelos parlamentares como uma pessoa de personalidade vaidosa e, para alguns, delirante.

Witzel deixou oficialmente o governo do Rio de Janeiro ontem após ser condenado por crime de responsabilidade no TEM (Tribunal Especial Misto). Ele é o primeiro governador de um estado brasileiro a sofrer um impeachment desde a redemocratização.

Em 23 de setembro de 2020, o pedido para afastamento de Witzel foi votado no plenário da Alerj com um placar de 69 a 0.

Ao discursar na sessão da Alerj que aprovou a abertura do processo, o ex-juiz federal atacou os parlamentares, a quem chamou de "omissos" e "engenheiros de obra pronta".

Política