PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

No Pará, Bolsonaro diz que 'CPI da Mentira' não derrubará o governo

Bolsonaro durante evento em Novo Repartimento, no Pará  - Reprodução
Bolsonaro durante evento em Novo Repartimento, no Pará Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

18/06/2021 16h40

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou desafiou os membros da CPI da Covid, que acontece no Senado, e afirmou que a "comissão da mentira" não "vai derrubar o governo federal".

"Não vai ser uma CPI da mentira, uma CPI onde não se busca a verdade, que se ilude achando que vai derrubar o governo federal", disse, durante um evento no Pará, onde participou da cerimônia de entrega de 102 km de pavimentação da BR-230, a Rodovia Transamazônica.

Nesta sexta, após divulgar a lista de pessoas que se tornaram investigadas pela CPI - incluindo assessores presidenciais, ex-ministros, secretários do governo e o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga - o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), não afastou a possibilidade de o próprio presidente ser investigado. Segundo Renan, não há clareza legal se a CPI pode ou não investigar Bolsonaro, mas se houver essa possibilidade ele será investigado.

Segundo Renan, não há clareza legal se a CPI pode ou não investigar Bolsonaro, mas se houver essa possibilidade ele será investigado.

Durante a fala do presidente, os governadores que decretaram lockdown e medidas de distanciamento também foram atacados.

"Graças a garra, determinação e coragem do trabalhador brasileiro, estamos resistindo. O agronegócio não parou. Os homens e mulheres do DNIT [Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes] não pararam, assim como nossos caminhoneiros e tantos outros profissionais, em especial os de saúde. Aqueles governadores que fecharam o comércio, que decretaram toque de recolher, que impediram você de trabalhar, a história reserva um local no ostracismo para esses políticos", disse.

"Desde o começo eu disse que tínhamos dois problemas, o vírus e o desemprego. O governo federal - eu, Jair Bolsonaro -, não fechei um botequim sequer, porque sei da necessidade de levar o sustento para dentro de casa. Mas somente neste ano, o Governo Federal dispensou mais de R$ 300 bilhões para o auxílio emergencial, o que equivale a mais de 10 anos do benefício Bolsa Família".

Bolsonaro também defendeu novamente o chamado 'tratamento precoce', feito com medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19, e disse que apesar das recomendações, o governo "não é conivente com a indústria farmacêutica".

Mais cedo, em Marabá, durante a entrega de 50 mil títulos de terra a pequenos produtores do Pará, o presidente já havia criticado as medidas de isolamento.

Com informações da Reuters.

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.