PUBLICIDADE
Topo

Política

Após declarar ser gay, Eduardo Leite confirma namoro e diz: 'Aliviado'

Colaboração para o UOL

02/07/2021 04h11Atualizada em 02/07/2021 13h40

Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) se disse aliviado após ter declarado publicamente que é homossexual e confirmou que está namorando um médico.

"Tô feliz, tô aliviado. A gente não sabe ainda quais serão as repercussões, as reações que virão, mas sejam elas quais forem, estarei muito tranquilo com a minha consciência e estarei me apresentando na integridade para a população brasileira", contou Leite em entrevista a Pedro Bial no "Conversa com Bial", da TV Globo, de hoje.

Ele ainda falou mais sobre sua vida pessoal. "Tô namorando há nove meses. Não é do Rio Grande do Sul, é um médico do Espírito Santo. Tenho enorme admiração e amor por ele. Trabalhou em hospital de campanha. Algumas pessoas falam sobre alguma coragem que eu possa ter sobre assumir isso publicamente. Eu acho que há alguma, mas coragem tem mesmo quem vai para um hospital de campanha, para trabalhar na linha de frente da pandemia. Gente que está fazendo tanto para superar esse quadro de pandemia. Tem tantos outros exemplos de coragem que a minha fica pequenininha. E aí a minha homenagem a todos os profissionais de saúde a partir do meu namorado, que também é médico."

Ao final do programa, Eduardo Leite fez uma reflexão sobre o seu gesto e contou como se sentia.

"Eu fico sem dúvida mais tranquilo. Porque é como eu disse, eu nunca escondi, nunca condicionei a minha vida. Eu saio com o meu namorado para jantar fora, não escondo isso de ninguém. Mas sempre ficava um burburinho, ilação, taí a piadinha que o próprio presidente fez, os ataques feitos por outros políticos. Isso não é justo, não é correto, não é tolerável."

"Acho que posso, de alguma forma, humildemente dar uma contribuição para as pessoas que são gays, lésbicas, bis e trans ou a diversidade da nossa população... dar algum tipo de exemplo, ajudar a liderar na direção correta em que haja mais reconhecimento pelas pessoas, pelas suas capacidades, e que não seja mais a orientação sexual um tema, uma questão, que seja uma não questão. Eu tenho confiança que a gente chegará lá", finalizou.

Leite votou em Bolsonaro, conhecido por falas homofóbicas

A declaração de Leite ocorre três anos após ele ter divulgado que votou em Bolsonaro no segundo turno da eleição presidencial de 2018. O presidente é conhecido por suas falas homofóbicas e é alvo constante de protestos de grupos LGBTQI+.

Em julho de 2020, Leite deu uma entrevista ao Roda Viva na qual o governador disse não se arrepender de ter votado em Bolsonaro. À época, o tucano declarou: "Não tenho arrependimento porque, dadas aquelas circunstâncias, acho que seria muito ruim o retorno do PT ao poder, depois de tudo que tinha acontecido".

Já em outubro de 2018, o governador ainda escreveu em seu Twitter que o voto em Bolsonaro não foi por conveniência, mas pelo que acredita.

"A posição que assumimos, no segundo turno, não é por conveniência e sim pelo que acredito. Temos algumas ressalvas com posições antigas que o @jairbolsonaro tomou, mas entendo que é a melhor alternativa nesse momento."

Política