PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
5 meses

Presidente da OAB acionará corregedoria para apurar ataque de Wassef

Frederick Wassef enviou uma mensagem para o Whatsapp da colunista atacando-a pessoalmente - Reprodução/Twitter/@Sarahteofilo
Frederick Wassef enviou uma mensagem para o Whatsapp da colunista atacando-a pessoalmente Imagem: Reprodução/Twitter/@Sarahteofilo

Do UOL, em São Paulo

10/07/2021 08h20Atualizada em 10/07/2021 12h31

O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Felipe Santa Cruz, escreveu no Twitter que acionará a corregedoria para apurar o advogado Frederick Wassef pela mensagem com ataques à colunista do UOL Juliana Dal Piva.

Wassef, que é advogado do presidente Jair Bolsonaro, enviou na no fim da tarde de ontem uma mensagem para o Whatsapp da colunista atacando-a pessoalmente e dizendo, entre outras coisas, para que ela se mudasse para a China.

"Minha solidariedade à jornalista Juliana dal Piva. Vou determinar que a corregedoria da OAB apure o fato ocorrido e tome as medidas necessárias", escreveu Felipe Santa Cruz.

A mensagem a Dal Piva foi enviada no dia em que estreou o 4º e último episódio do podcast UOL Investiga - A vida secreta de Jair, apresentado pela colunista, e que revelou conexões diretas do presidente Jair Bolsonaro com um esquema de entrega de salários de seus ex-funcionários na Câmara dos Deputados.

A mensagem diz: "Faça lá o que você faz aqui no seu trabalho, para ver o que o maravilhoso sistema político que você tanto ama faria com você. Lá na China você desapareceria e não iriam nem encontrar o seu corpo".

A postura de Wassef na mensagem também foi condenada por Marcelo Träsel, presidente da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo).

"Condenamos veementemente as ameaças e ofensas dirigidas a Juliana Dal Piva, sobretudo por virem de um indivíduo que deveria conhecer os preceitos legais. Infelizmente, se tornou rotina pessoas ligadas ao governo federal assediarem jornalistas, sobretudo as mulheres. Este comportamento é incompatível com o Estado de Direito e mesmo com as regras mais básicas de civilidade", afirmou Träsel.

A Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro e a Comissão Nacional de Mulheres da Fenaj também emitiram nota em que "repudiam veementemente a ameaça do advogado".

"A jornalista vem desempenhando importante trabalho de investigação e expondo possíveis crimes cometidos por Jair Bolsonaro", diz o comunicado. "Não aceitaremos que o presidente e seus apoiadores sigam ameaçando jornalistas e colocando suas vidas em risco. Exigimos dos órgãos responsáveis imediata apuração da ameaça e proteção à jornalista."

A Fenaj e o sindicato dizem que cobra da Comissão de Ética da OAB a instauração de procedimento disciplinar contra o referido advogado. "Basta de ameaças às jornalistas, à imprensa, ao livre exercício do jornalismo e à liberdade de expressão, pilares de qualquer Estado Democrático."

Humberto Costa cobra apuração das ameaças

O senador Humberto Costa (PT-PE) cobrou que as autoridades policiais e judiciais apurem de forma imediata as ameaças do advogado de Jair Bolsonaro, Frederico Wassef, à jornalista Juliana Dal Piva.

Humberto relembra que Wassef é o mesmo que "escondeu, por meses, o assessor Fabrício Queiroz, o mentor das 'rachadinhas'".

Inaceitáveis as ameaças de morte do advogado de Bolsonaro, Frederico Wassef, à jornalista Juliana Dal Piva do UOL por conta das revelações sobre as "rachadinhas" do clã Bolsonaro. A Comissão de Direitos Humanos do Senado repudia mais esse atentado à liberdade de imprensa
Humberto Costa, senador pelo PT

Política