PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Da cama do hospital, Bolsonaro diz que adoeceu por causa de facada em 2018

Do UOL, em São Paulo

17/07/2021 12h04Atualizada em 17/07/2021 15h19

Do leito do Hospital Vila Nova Star, onde está internado desde quarta-feira (14) para tratar uma obstrução intestinal, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou hoje de uma transmissão ao vivo e voltou a afirmar que seu problema de saúde é uma consequência da facada que recebeu em 2018 durante a campanha eleitoral.

"Estou bem, graças a Deus. O problema que eu tive, no início dessa semana, foi em função ainda da facada que eu recebi em 2018", afirmou durante participação virtual em um evento de inauguração de uma agência da Caixa Econômica Federal em Missão Velha (CE).

Essa é a segunda vez que Bolsonaro relaciona sua internação ao episódio da facada em 2018. Na quarta-feira (14), quando ainda estava no HFA (Hospital das Forças Armadas), em Brasília, antes de ser transferido para São Paulo, o presidente escreveu que esse era "mais um desafio após a tentativa de assassinato" promovida por Adélio Bispo.

No vocabulário presidencial, as referências à facada têm sido usadas para fazer ataques à oposição: nesta semana, o presidente chegou a dizer que Adélio seria filiado ao PSOL, "braço esquerdo do PT". Apesar da associação feita pelo presidente, o PSOL é um partido criado em 2005 e não é um "braço" do PT. Fundadores do PSOL foram expulsos do PT e fizeram oposição a governos petistas.

Apesar de não ter citado o partido nominalmente, o presidente já havia publicado, no início da manhã, um vídeo do empresário bolsonarista Luciano Hang com críticas ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), seu virtual candidato em 2022 e atual líder nas pesquisas.

Bolsonaro se recupera bem, diz boletim

Bolsonaro está internado desde quarta-feira no Hospital Vila Nova Star, na zona sul de São Paulo, para tratar uma obstrução intestinal.

O último boletim médico divulgado na tarde de hoje pelo hospital diz que o presidente vai começar uma dieta cremosa e, se continuar evoluindo no tratamento, a alta médica será decidida nos próximos dias.

"O senhor presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, continua evoluindo satisfatoriamente, apresentando melhora clínica e laboratorial. Durante o dia de hoje, será oferecida dieta cremosa não fermentativa e, se continuar havendo boa aceitação, a equipe médica assistente decidirá pela alta nos próximos dias", diz a nota assinada por cinco médicos.

Cirurgião prevê alta amanhã

Apesar de o hospital não prever data para alta médica, o cirurgião Antonio Macedo, que acompanha o quadro de saúde do presidente, afirmou que Bolsonaro pode receber alta do hospital amanhã.

Macedo foi responsável pela operação no abdômen de Bolsonaro em 2018, após a facada durante a campanha eleitoral. De lá para cá, o presidente foi submetido a seis cirurgias para refazer alças intestinais e diversos órgãos afetados.

Bolsonaro tem sofrido com intercorrências deste episódio e o último procedimento médico ao qual Bolsonaro foi submetido ocorreu em setembro de 2020.

Política