PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Depois de Gleisi, Manuela d'Ávila aparece como morta no cadastro do SUS

"Me mataram depois do 1º turno de 2018 [em que concorreu como vice de Haddad]", contou Manuela - Reprodução/Instagram
"Me mataram depois do 1º turno de 2018 [em que concorreu como vice de Haddad]", contou Manuela Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

20/07/2021 18h01Atualizada em 20/07/2021 18h11

Candidata à prefeita de Porto Alegre em 2020, Manuela d'Ávila (PCdoB) anunciou hoje ter descoberto que aparece como morta em seu cadastro no SUS (Sistema Único de Saúde). Recentemente, o mesmo aconteceu com a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente nacional do PT — e ambas souberam do problema quando foram se vacinar contra a covid-19.

Manuela compartilhou uma foto de sua página no SUS nas redes sociais. Nela, é possível ver que logo abaixo de seu nome consta também uma "data de óbito": 14 de outubro de 2018. Ela atribuiu o erro a um suposto ataque hacker de 2019, quando foram vazados os dados pessoais de 2,4 milhões de usuários do SUS.

"No dia em que fui me vacinar, fiquei algumas horas na fila, emocionada. Quando foram preencher meu cadastro, não encontraram meus dados. Imaginei que podia ser algo relacionado a legislação sobre figuras politicamente expostas", escreveu Manuela. "Pois bem, aí está: eles [hackers] me mataram depois do primeiro turno da eleição de 2018 [em que concorreu como vice de Fernando Haddad (PT)]."

Tenho uma notícia para dar: estou vivinha da silva e na luta, apesar das ameaças permanentes que fazem. Vamos ver o Brasil feliz novamente.
Manuela d'Ávila, após descobrir erro no SUS

Também nas redes sociais, Manuela anunciou que entraria na Justiça para corrigir seu cadastro no SUS.

"Sobre a alteração do meu cadastro no Ministério da Saúde: ingressarei com ação judicial para que seja corrigida a minha inscrição no SUS. Além disso, espero que seja responsabilizada a pessoa que praticou o crime de adulteração. Para tanto, estamos estudando medidas cabíveis", disse a ex-deputada federal.

Problema de Gleisi

O erro no registro de Manuela d'Ávila vem à tona uma semana depois de a deputada Gleisi Hoffmann denunciar um problema semelhante. A parlamentar também constava como morta no cadastro do SUS — mas, diferentemente de Manuela, o erro a impediu de tomar a segunda dose da vacina contra a covid-19.

O problema, segundo ela, foi resolvido dois dias depois.

"Resuscitei no cadastro do SUS. Agora estou bem viva, meu CNS [Cartão Nacional de Saúde] foi corrigido. Quero agradecer o empenho e atenção do pessoal do Centro de Saúde n° 5, Lago Sul, em Brasília, que se dedicou para corrigir. Vamos cobrar e acompanhar as investigações do Ministério da Saúde", escreveu a deputada no último dia 15.

Política