PUBLICIDADE
Topo

Política

Doria: suposta ameaça de Braga Netto reverbera o que Bolsonaro já disse

Do UOL, em São Paulo

22/07/2021 13h24Atualizada em 22/07/2021 13h49

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), repudiou hoje, em entrevista ao UOL News, a suposta ameaça do ministro da Defesa, general Braga Netto, às eleições de 2022.

Reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo informou que o ministro mandou um recado condicionando a realização do pleito à aprovação do voto impresso, uma bandeira do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Braga Netto disse que a notícia é uma "invenção" e uma "mentira".

"Lamentável, aliás, vindo de um ministro de Estado como Braga Netto, que além de tudo é um general da reserva. Ele reverbera aquilo que seu chefe já disse, numa outra entrevista recente. Jair Bolsonaro já disse [que], se não tiver voto impresso, não terá eleição", afirmou o tucano, em entrevista à apresentadora Fabíola Cidral e ao colunista do UOL Leonardo Sakamoto.

No início de julho, Bolsonaro voltou a fazer uma ameaça às eleições de 2022 e afirmou que não haverá disputa eleitoral no ano que vem se não houver "eleições limpas". A insinuação é a de que poderia haver fraude nas urnas para derrotá-lo no ano que vem.

Desde a adoção das urnas eletrônicas no Brasil, em 1996, nunca houve comprovação de fraude nas eleições.

Mas os dois (Bolsonaro e Braga Netto) estão errados, porque teremos eleição. E não será por uma ameaça golpista e autoritária que eles vão colocar medo no superior tribunal eleitoral e na corte suprema do país para ameaçar a democracia. A maioria expressiva dos brasileiros adotou a democracia, defende a democracia e protege a democracia João Doria

Doria citou ainda as manifestações contra o presidente Bolsonaro, marcadas para o próximo final de semana e para 12 de setembro. Questionado se irá às ruas, o tucano disse que ainda não definiu, mas que manifestações democráticas têm seu apoio.

Política