PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Após polêmica, Bolsonaro participa de demonstração militar em Formosa

Fábio Castanho e Lucas Valença

Do UOL, em São Paulo em Brasília

16/08/2021 11h35Atualizada em 16/08/2021 13h17

Após a polêmica pela entrega do convite com um desfile de blindados por Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) acompanhou hoje a Operação Formosa, exercício militar da Marinha que pela primeira vez contou com a participação do Exército e da Aeronáutica.

Durante a demonstração, Bolsonaro chegou a realizar um tiro de artilharia ao lado do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira. Também acompanharam a cerimônia os ministros da Saúde (Marcelo Queiroga), Defesa (Walter Braga Netto) e do GSI (Augusto Heleno).

O presidente ainda recebeu da mão dos militares uma bandeira do Brasil utilizada durante o exercício e participou de uma simulação de socorro médico de um militar ferido, enviando uma mensagem para a missão que estava em andamento. Ao final, ele falou brevemente com militares.

Bolsonaro participa de Operação Formosa, exercício militar da Marinha - Reprodução/TV Brasil - Reprodução/TV Brasil
Bolsonaro participa de Operação Formosa, exercício militar da Marinha
Imagem: Reprodução/TV Brasil

A operação é realizada anualmente desde 1988 em Formosa (GO), mas ganhou mais destaque este ano depois que um desfile de tanques e blindados passou pela praça dos Três Poderes na última terça-feira (10) para entregar o convite a Bolsonaro.

A formalidade foi cercada de polêmica, uma vez que aconteceu no mesmo dia da votação pelo plenário da Câmara da PEC do voto impresso, defendido pelo presidente. Um desfile de tanques por Brasília, algo inédito em um dia útil, foi visto por opositores como uma forma de intimidação aos parlamentares. A PEC foi rejeitada.

Bolsonaro convidou chefes de todos os poderes para a cerimônia de entrega de convites, mas nenhum compareceu. Na ocasião, estiveram presentes os chefes do Exército, Marinha e Aeronáutica.

O treinamento de hoje contou com cerca de 2.500 militares das Forças Armadas, que por mais de uma hora demonstraram manobras militares e simularam situações operativas. Carros de combate e parte do arsenal foram usados no exercício.

A demonstração foi transmitida ao vivo pela TV Brasil e pelas redes sociais do Planalto e contou com trilha sonora típica de filmes de ação, enquanto um narrador explicava as manobras e os equipamentos utilizados.

Uso de máscara

Em um dos momentos do evento, quando o presidente, ministros e militares se posicionaram em fila para assistir uma simulação de socorro médico de um militar ferido, apenas o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, usava máscara. O Brasil já ultrapassou os 560 mil mortos devido à pandemia do novo coronavírus.

Vários deputados e senadores também estiveram presentes no exercício e acompanharam o presidente Bolsonaro em alguns momentos do evento. Dentre os parlamentares estavam o senador Marcos Rogério (DEM-RO) e deputados Júlio César (Republicanos-DF), Marco Feliciano (Republicanos-SP), Carla Zambelli (PSL-SP) e Helio Lopes (PSL-RJ), entre outros. Nenhum deles usava máscara.

Política