PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Apesar de ataques ao STF, Bolsonaro diz que 'conspira' pela Constituição

Bolsonaro ri durante entrevista à Rádio Jovem Pan Maringá (PR) - Reprodução/Faceboo/Jair Messias Bolsonaro
Bolsonaro ri durante entrevista à Rádio Jovem Pan Maringá (PR) Imagem: Reprodução/Faceboo/Jair Messias Bolsonaro

Do UOL, em São Paulo

23/08/2021 19h14

Sem citar nomes, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse hoje que está "conspirando para que cumpram a Constituição". A declaração foi feita durante conversa com apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente, em Brasília.

Só tenho uma coisa a falar: estou conspirando, sim, e muito, para que todos cumpram a nossa Constituição. Essa é a minha conspiração. Cumpra a Constituição. Só isso, tá o.k.?! Presidente Bolsonaro em conversa com apoiadores

Bolsonaro está no centro de uma crise institucional com o STF (Supremo Tribunal Federal) —em especial com os ministros Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.

Moraes foi o ministro do STF responsável pela determinação da prisão preventiva de Roberto Jefferson, hoje um dos principais aliados políticos de Bolsonaro. Já Barroso, que também é presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), é visto pelo presidente como o responsável por impedir a aprovação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que instituiria o voto impresso para urnas eletrônicas. Bolsonaro, por outro lado, disse estar tendo "um bom retorno" do Congresso Nacional.

Na sexta-feira, Bolsonaro apresentou ao Senado o pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes —ao longo dos 131 anos de história do tribunal, nunca ministros foram alvos de investigação ao tempo em que exerceram seus cargos.

O chefe do Executivo, que já era alvo de inquéritos por suposta tentativa de interferir na Polícia Federal e por suspeita de prevaricação na compra da vacina Covaxin, passou também a responder a duas investigações ligadas à segurança do sistema eleitoral.

A mais recente foi aberta pelo próprio ministro Alexandre de Moraes, que acolheu uma notícia-crime do TSE para apurar o vazamento de um inquérito sigiloso da PF nas redes de Bolsonaro. O presidente também responde a outros inquéritos na Justiça Eleitoral.

Política