PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Deputado pede informações sobre reuniões de Bolsonaro com Prevent Senior

Deputado do PSOL protocola requerimento pedindo informações sobre reuniões entre Prevent Senior e presidente Jair Bolsonaro (sem partido) - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
Deputado do PSOL protocola requerimento pedindo informações sobre reuniões entre Prevent Senior e presidente Jair Bolsonaro (sem partido) Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

19/09/2021 17h12Atualizada em 19/09/2021 17h32

O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) protocolou ontem um requerimento para que a Presidência da República preste esclarecimentos sobre supostas reuniões entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e executivos da Prevent Senior e da EMS desde março do ano passado.

No documento, o deputado também pede a confirmação de reuniões fora da agenda oficial, além de atas com os temas que foram discutidos.

"Solicito informações sobre as agendas realizadas pelo presidente da República com o sr Léo Sanchez, a sra Karina Kufa e o sr Pedro Benedito Batista Júnior desde março de 2020, incluindo aqueles que não constaram da agenda oficial", diz o requerimento protocolado pelo deputado Ivan Valente. "Solicito ainda a lista de presença das agendas mencionadas, bem como as atas com os temas que foram discutidos".

O requerimento segue a notícia de que o plano de saúde Prevent Senior ocultou mortes de pacientes que participaram —sem conhecimento —de um estudo para testar a eficácia da hidroxicloroquina e azitromicina contra a covid-19. Segundo as informações divulgadas pela GloboNews, a disseminação da cloroquina e de outros medicamentos é resultado de um acordo entre a empresa e o governo Bolsonaro.

Leonardo Sanchez é do Grupo NC, dono da EMS —farmacêutica que informou à CPI da Covid que faturou R$ 142 milhões com medicamentos do "kit covid" em 2020, valor oito vezes superior ao registrado no ano anterior.

Apenas a soma com a venda de ivermectina foi de R$ 2,2 milhões para R$ 71,1 milhões na pandemia. O laboratório também produziu azitromicina, hidroxicloroquina e nitazoxanida, medicamentos ineficazes contra o vírus, mas que são defendidos pelo presidente Bolsonaro.

Pedro Benedito Batista Júnior é diretor-executivo da Prevent Senior. Na semana passada, ele prestaria depoimento na CPI da Covid, mas não compareceu por falta de tempo hábil para chegar em Brasília, segundo advogados.

Para o senador Humberto Costa (PT-PE), o depoimento de Pedro Batista Júnior é um dos mais importantes da CPI. O diretor da Prevent Senior seria cobrado a explicar, entre outros assuntos, a suposta pressão da empresa pelo uso do chamado "kit covid" em pacientes com coronavírus.

Karina Kufa é advogada do presidente Jair Bolsonaro e já foi citado na CPI da Covid.

Política