PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

CPI trouxe ponta do iceberg no caso Prevent Senior, diz deputado

Colaboração para o UOL

28/09/2021 18h39

O depoimento da advogada Bruna Morato, representante do grupo de médicos que elaborou um dossiê com denúncias contra a Prevent Senior, na CPI da Covid apresentou apenas "a ponta do iceberg" de irregularidades da empresa. A avaliação é do deputado estadual Paulo Fiorilo (PT-SP).

Em entrevista ao UOL News, o parlamentar falou sobre o pedido de abertura de comissão de inquérito na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) da operadora de saúde, que já conta com as assinaturas necessárias.

"A CPI do Senado trouxe a ponta do iceberg. Nós ainda não temos clareza do tamanho desse iceberg e, infelizmente, nós estamos mexendo com vidas de pessoas idosas que foram utilizadas como cobaias pela instituição Prevent Senior", disse o petista.

"Nós não podemos nos calar diante dessa situação. Por isso, a Alesp iniciou o processo de instauração da CPI para apurar possíveis irregularidades de tratamento de pessoas idosas que estavam com covid", completou.

Ontem, o presidente da Alesp, Carlão Pignatari (PSDB), confirmou que recebeu o pedido para a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Prevent Senior.

No entanto, a comissão só poderá ser aberta depois de votação. Isso porque o regimento interno só permite a criação de 5 CPIs no ano e, essa, seria a 6ª — por isso, é necessária a aprovação da maioria dos deputados.

Para Fiorilo, o depoimento da advogada de hoje foi "estarrecedor" e deve pressionar o presidente da Alesp a "agilizar" na instalação da comissão.

"É preciso que a CPI conheça e investigue essa denúncia feita do uso de um hospital clandestino na cidade de São Paulo; que traga aqui os secretários, tanto do estado quanto da prefeitura, para dizer o que eles encontraram nesse processo de apuração com relação às denúncias que envolvem a Prevent Senior", listou o deputado.

Política