PUBLICIDADE
Topo

Política

Para apoiar Leite, Tasso tira licença no Senado, e cunhado de Gilmar assume

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) vai tirar licença e só deve voltar ao Senado no final de fevereiro do ano que vem - Pedro França/Agência Senado
O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) vai tirar licença e só deve voltar ao Senado no final de fevereiro do ano que vem Imagem: Pedro França/Agência Senado

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

27/10/2021 18h47Atualizada em 27/10/2021 18h56

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) vai tirar uma licença particular durante 121 dias e quem assumirá o mandato em seu lugar será Chiquinho Feitosa (DEM-CE), primeiro suplente do parlamentar e cunhado do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes.

Grande empresário do setor de ônibus, Chiquinho Feitosa é irmão de Guiomar Feitosa Mendes, mulher do magistrado do Supremo. A previsão é que ele tome posse na próxima quarta-feira (3).

O pedido de Tasso para se licenciar do mandato entre 29 de outubro deste ano e 26 de fevereiro do ano que vem foi aprovado hoje à tarde em sessão no plenário do Senado. Segundo a assessoria do político, a licença não é remunerada.

Tasso se dedicará às articulações políticas e à pré-candidatura do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), à Presidência da República, além do próprio PSDB no Ceará de olho nas eleições de 2022.

Tasso deve começar a rodar com Eduardo Leite já nesta sexta (29) para conversas com diretórios locais do PSDB no Nordeste e no Norte. A expectativa é que ambos tenham reuniões com os tucanos locais em Teresina, no Piauí, no início da tarde de sexta. À noite, com os colegas de partido em São Luís, no Maranhão. No sábado (30), eles devem manter conversas com os tucanos paraenses em Belém.

Política