PUBLICIDADE
Topo

Política

Mourão diz que é leal e que poderia ter articulado impeachment, se quisesse

Carla Araújo e Fabíola Cidral

Do UOL, em Brasília

17/11/2021 15h50Atualizada em 17/11/2021 16h45

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) declarou, em entrevista exclusiva ao UOL, ser leal a Jair Bolsonaro (sem partido) e disse que poderia, se quisesse, ter articulado junto ao Congresso Nacional o impeachment do presidente da República.

Na visão dele, o fato de não ter tomado tal iniciativa comprovaria a sua fidelidade e provaria que ele não é "político de outra estirpe".

"Agora, o presidente compreende perfeitamente que ele tem a minha lealdade. Então ele não precisa temer nada de mim. Com todas as crises que foram vividas, acredito que se eu fosse um político de outra estirpe teria negociado ali dentro do Congresso um impeachment do presidente. Como eu não sou, ele sabe que tem essa situação tranquila", afirmou Mourão em entrevista concedida às jornalistas Carla Araújo e Fabíola Cidral, do UOL, em Brasília.

Bolsonaro e o vice têm protagonizado uma relação conflituosa desde 2019, o início do atual governo, com atritos públicos provocados por divergências de pensamento.

O chefe do Executivo nunca fez questão de esconder a sua irritação com Mourão, sobretudo em episódios nos quais Mourão fez declarações à imprensa e omitiu opiniões a respeito de variados temas.

"Temos uma relação muito clara e muito tranquila. Tivemos aí alguns atritos em alguns momentos. Isso é normal, não vejo problema nisso", destacou o general de Exército.

Futuro político

Indagado sobre suas pretensões eleitorais, Mourão disse que ainda não decidiu o seu futuro político, mas descartou a possibilidade de fazer oposição a Bolsonaro.

"Dentro da minha ética, eu jamais poderia fazer isso. Em primeiro, iria dividir parcela do grupo ao qual eu pertenço e que apoia o presidente Bolsonaro. Então eu não faço isso em hipótese alguma. Se eu tiver que concorrer a um cargo, para mim, minha visão seria o Senado, seja pelo Rio Grande do Sul, meu estado natal, seja pelo Rio de Janeiro. Essa é a decisão que eu terei que tomar após eu definir se vou continuar na política. E por qual lugar eu vou concorrer."

Eu não fui picado ainda pela mosca da política. Eu sou milico. Eu passei 46 anos da minha vida dentro do Exército. Você bota mais 5 anos de aluno de Colégio Militar. São 51 anos usando uniforme. Sou filho de militar, então eu nasci dentro da instituição militar. A minha vida não teve esse viés político, diferente de outras pessoas. A política não me picou dessa forma ainda. Por isso que eu não tomei essa decisão.
Hamilton Mourão, vice-presidente da República, sobre os seus rumos na política

Mourão disse já ter recebido convite do atual ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (senador eleito pelo PI), para se filiar ao seu partido, o Progressistas. Momentaneamente, segundo ele, a mudança de ares não está no radar.

"O Ciro Nogueira me convidou, já conversou comigo para que eu ingressasse no PP. É exatamente esse constrangimento que eu ainda tenho. Não passa por mim essa troca."

Assista à íntegra da entrevista:

Política