PUBLICIDADE
Topo

Política

Deputado do PL diz que Bolsonaro 'sempre foi centrão' e criou personagem

Deputado Marcelo Ramos, relator do projeto da regularização fundiária - ADRIANO MACHADO
Deputado Marcelo Ramos, relator do projeto da regularização fundiária Imagem: ADRIANO MACHADO

Colaboração para o UOL

19/11/2021 20h18

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sempre foi do centrão e criou um personagem, afirmou hoje o deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM). Segundo o parlamentar, só "quem quis se iludir" acreditou nas críticas feitas por Bolsonaro ao grupo de partidos antes de ser eleito presidente da República.

"O Bolsonaro foi, por 28 anos, um deputado do centrão, de partidos do centrão, aliado do centrão e votando com o centrão. (...) O bom filho à casa torna. Ele está voltando de onde, no fundo, ele só saiu para criar um personagem que disputou a última eleição presidencial", argumentou Ramos, em entrevista à GloboNews.

Sobre a possível filiação de Bolsonaro ao Partido Liberal (PL), o deputado foi enfático: "Em alguns locais, o projeto do partido é inconciliável com o projeto do presidente Bolsonaro."

Segundo ele, no Piauí, por exemplo, ou o PL estará com o candidato do governador Wellington Dias (PT), ou quem está no PL não estará mais.

Em Alagoas, disse, ou a sigla estará com o candidato do governador Renan Filho (MDB), ou quem está no PL não estará mais. E no Pará, a mesma coisa: "Ou o partido estará com o candidato do MDB, do governador Helder Barbalho, ou não estará mais no PL".

"Acho que a gente tem que esperar para ver se realmente o presidente Bolsonaro vai se filiar ou se ele vai tentar desmoralizar o PL, como fez com o PSL e o Patriota", falou Ramos.

Questionado se fica no PL caso a filiação de Bolsonaro se concretize, o parlamentar afirmou que seu desejo é permanecer, mas não o fará se os projetos não estiverem de acordo com o que ele acredita ser o melhor para o Brasil.

"A filiação de Bolsonaro pode vir a ser ótima para o PL. (...) Ela poderia até, do ponto de vista pragmático, ser boa para minha reeleição no meu estado. (...) Mas tem um país do lado de fora da política que depende de nossas decisões, e eu não vou embarcar em um projeto que não acredito que seja bom para o país. Então a única certeza que tenho é que não estarei no palanque do presidente Bolsonaro."

Política