PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Bolsonaro no PL torna minha presença incompatível, diz Marcelo Ramos

Colaboração para o UOL

30/11/2021 09h09Atualizada em 30/11/2021 12h17

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), disse, em entrevista ao UOL News hoje (30), que não daria as boas-vindas a Jair Bolsonaro no PL e que a filiação do presidente da República ao partido torna sua presença incompatível.

Talvez eu não seja a pessoa adequada a dar boas-vindas a Bolsonaro no PL. Torna incompatível a minha presença no partido. Muito difícil a minha permanência.
Marcelo Ramos, vice-presidente da Câmara

Ramos citou PSB, PSD e Republicanos como exemplos de siglas às quais ele pode se filiar.

Na avaliação de Marcelo Ramos, a sigla vai perder integrantes fiéis com a chegada do presidente. "Não tenho dúvidas de que o PL sairá desse processo com uma bancada menos disciplinada a cumprir determinações do partido, mas isso é uma escolha", afirmou.

Jair Bolsonaro se filiou ao PL na manhã de hoje em um evento em Brasília. Com clima religioso e conservador, a cerimônia reuniu políticos e autoridades e teve um discurso do presidente com diversos acenos ao Congresso para marcar oficialmente a retomada do casamento do seu governo com o centrão.

Orçamento continua secreto

Ontem (29), o Congresso aprovou um projeto de resolução para manter os repasses bilionários do chamado "orçamento secreto", mas divulgando as indicações e solicitações que fundamentaram as emendas no site da Comissão Mista de Orçamento (CMO), para atender decisão do STF (Supremo Tribunal Federal).

Marcelo Ramos, que presidiu a sessão na Câmara, minimizou críticas da oposição sobre a proposta continuar sem a transparência adequada.

"A transparência pode não ter sido aquela que esperávamos, eu mesmo publico todas as emendas que recebo. A avaliação sobre atender ou não à decisão do STF compete ao STF. Se o entendimento do Supremo foi que não atende, a liminar será mantida e as emendas não serão pagas", disse.

Política