PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Direita cita 'impunidade' e aliados de Lula comemoram fim do caso tríplex

MPF determinou o arquivamento do caso do tríplex do Guarujá (SP) do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - Reprodução
MPF determinou o arquivamento do caso do tríplex do Guarujá (SP) do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

07/12/2021 13h04Atualizada em 07/12/2021 19h04

Enquanto aliados comemoram a decisão do MPF (Ministério Público Federal) de arquivar o caso do tríplex do Guarujá (SP) atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), políticos de direita criticam o que veem como "impunidade". Na ação, Lula é acusado de lavagem de dinheiro e corrupção.

Em sua decisão, a procuradora da República Márcia Brandão Zollinger reconheceu a prescrição do processo contra Lula e argumentou que o STF (Supremo Tribunal Federal) já havia anulado as condenações do ex-presidente, em abril de 2021.

Nas redes sociais, o deputado federal Kim Kataguiri (DEM) escreveu que "a impunidade teve mais uma vitória no Brasil" e que Lula usou todos os recursos para adiar o julgamento do caso, que agora prescreveu.

Ele também afirmou que o ex-presidente teve "uma ajudinha do STF".

O ex-juiz da Lava Jato e candidato às eleições presidenciais de 2022, Sergio Moro (Podemos), afirmou que "manobras jurídicas enterraram de vez o caso de Lula". Para ele, "crimes de corrupção deveriam ser imprescritíveis, pois o dano causado à sociedade jamais poderá ser reparado".

Aliados do ex-presidente Lula comemoraram a decisão do MPF. O deputado federal Paulo Pimenta (PT) escreveu que "a mentira de Moro e [Deltan] Dallagnol definitivamente cai por terra".

O deputado federal Paulo Guedes (PT) afirmou que Moro e Dallagnol "devem pagar por todo o mal que fizeram ao Lula, à democracia e ao povo brasileiro".

Política