PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Lula critica Bolsonaro por rejeitar passaporte da vacina

"Bolsonaro precisa criar responsabilidade", diz Lula sobre passaporte vacinal - Reprodução
'Bolsonaro precisa criar responsabilidade', diz Lula sobre passaporte vacinal Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

08/12/2021 13h19Atualizada em 08/12/2021 14h02

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou hoje o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) por não adotar o passaporte vacinal para a entrada de estrangeiros no Brasil, como já fazem muitos países, e contrariando recomendação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Em discurso no 9º Congresso Força Sindical, o petista relembrou que, em viagem recente que fez à Europa, precisou apresentar testes negativos de covid e comprovante de vacinação para entrar nos países.

Ontem, ele (Bolsonaro) falou uma outra barbaridade. Ele falou contra a Anvisa, que não tem que fazer qualquer exigência para as pessoas transitarem de outro país para cá. Eu acabei de fazer uma viagem para a Alemanha, Espanha, França e Bélgica. Em todos os países eu tive que fazer teste no nariz e na garganta, tinha que apresentar atestado de vacinação. E queria aproveitar e dar um recado pro Bolsonaro. Se ele não gosta dele, do seu filho, se eles não se respeitam, ele precisa criar responsabilidade e permitir que as pessoas sejam obrigadas a apresentar teste de vacinação para proteger a sociedade brasileira Luiz Inácio Lula da Silva

O petista ressaltou que não há outra maneira de se proteger contra o vírus senão a vacina, o uso de máscaras e evitar aglomerações e, novamente, chamou Bolsonaro de "genocida".

O presidente voltou a criticar ontem a exigência de vacinação contra a covid-19, chamando o passaporte sanitário de "coleira". O passaporte da vacina já é adotado em algumas cidades como forma de permitir a reabertura de bares, restaurantes, cinemas e outros estabelecimentos de forma segura. Recentemente, devido à preocupação com a variante ômicron do coronavírus, a Anvisa também sugeriu que o governo federal exija a vacinação para entrada no Brasil.

Em discurso para representantes da indústria, Bolsonaro já havia demonstrado seu descontentamento com a recomendação da Anvisa para a adoção do passaporte da vacina.

Sem passaporte vacinal, o governo brasileiro anunciou na tarde de ontem que irá impor quarentena de cinco dias e teste RT-PCR a viajantes não vacinados que queiram entrar no Brasil. As autoridades, no entanto, não explicaram como será feito o processo de isolamento dessas pessoas.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que, "como diz o presidente, é melhor perder a vida do que perder a liberdade" ao justificar medidas tomadas pelo governo brasileiro de combate à pandemia.

Dados obtidos pelo consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, junto às secretarias estaduais de Saúde, mostram que mais de 616 mil pessoas já morreram em decorrência da covid no país.

Hoje, em conversa com apoiadores, Bolsonaro se colocou novamente contra o passaporte da vacinação.

Política