PUBLICIDADE
Topo

Política

Ainda não há avaliação definitiva sobre cirurgia em Bolsonaro, diz hospital

3.jan.2022 - Bolsonaro publica foto em hospital após passar mal durante folga em SC - Divulgação/Twitter/@jairbolsonaro
3.jan.2022 - Bolsonaro publica foto em hospital após passar mal durante folga em SC Imagem: Divulgação/Twitter/@jairbolsonaro

Leonardo Martins

Do UOL, em São Paulo

03/01/2022 20h10

O novo boletim de saúde do presidente Jair Bolsonaro (PL) afirma que ainda não há "avaliação definitiva" sobre a necessidade de uma cirurgia. Segundo o hospital Vila Nova Star, Bolsonaro apresentou melhora clínica com a sonda nasogástrica, "evoluindo sem febre ou dor abdominal".

O presidente está internado desde a madrugada de hoje realizando exames e tratamento de uma obstrução intestinal no hospital da zona sul da capital. Ele interrompeu sua folga em Santa Catarina para ir ao centro médico após sentir desconforto abdominal.

"O paciente fez uma curta caminhada pelo corredor do hospital e permanece em tratamento clínico", diz o comunicado.

Em seu perfil no Twitter, mais cedo, o presidente disse que é possível que ele seja submetido a uma "cirurgia de obstrução interna na região abdominal".

O novo boletim não comenta se há data de alta para Bolsonaro, mas, pela manhã, não havia previsão, segundo a Secom (Secretaria de Comunicação).

Em julho de 2021, Bolsonaro ficou quatro dias internado no hospital Vila Nova Star para tratamento de uma obstrução intestinal. À época, os médicos cogitaram uma intervenção cirúrgica, que foi descartada depois que o intestino do presidente voltou a funcionar normalmente.

A informação de que o presidente estava realizando exames e com suspeita de uma obstrução intestinal foi confirmada ao UOL, ainda de madrugada, pelo médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo, que operou Bolsonaro após a facada que levou no abdome, em setembro de 2018, e acompanha o quadro dele.

Há expectativa pela chegada de Macedo ao hospital para analisar o presidente. Ele estava nas Bahamas, mas interrompeu a viagem para vir à capital paulista cuidar de Bolsonaro — seu desembarque deve acontecer nas primeiras horas da madrugada desta terça-feira (4).

Ao UOL, o médico disse, na tarde de hoje, que só será possível tirar conclusões do quadro do presidente com uma avaliação presencial. "O paciente deve ser examinado primeiro e, a seguir, ver os exames. Essa medicina ridícula recente de só ver exames está trazendo mal aos doentes. Além dos exames, temos de usar a palpação do abdome e a visualização do quadro clínico e cirúrgico", acrescentou o médico. A palpação é a avaliação médica do abdome do paciente com as mãos.

Primeiro dia no hospital

Não foi possível localizar nenhum aliado ou político do presidente entrando no hospital pela portaria até o final do dia de hoje. Às 14h, um apoiador foi ao hospital prestar solidariedade. Com uma Bíblia nas mãos, o professor aposentado Antônio da Silva Ortega, 69, foi ao hospital para entregar uma carta ao presidente. "Em apoio ao presidente, uma carta para que ele se restabeleça e governe a nossa nação até 2026, em nome de Deus", afirmou.

Nem o hospital nem a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto informam quem está acompanhando a internação do presidente. Questionado, o Planalto não soube informar se o presidente recebeu visitas ou se a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, acompanhava o presidente.

Mais cedo, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse ter recebido informações de que Bolsonaro teve dores abdominais por conta da facada que levou em 2018.

A primeira-dama se manifestou na mesma linha: "Agradeço as orações e as mensagens de carinho, recebidas pela internação do Jair, decorrente do atentado que sofreu em 2018. Sequela que levaremos para o resto de nossas vidas. Mas Deus é bom e tem o controle de todas as coisas".

Aliados e os filhos do presidente também citaram a facada de 2018 em suas manifestações e pediram orações ao mandatário.

Cirurgias após a facada

O cirurgião Antônio Luiz Macedo operou Bolsonaro após a facada que levou no abdome, em setembro de 2018, na cidade de Juiz de Fora (MG), durante um ato de rua de sua campanha presidencial.

Desde então, o presidente esteve internado em hospitais em algumas ocasiões para realizar cirurgias e exames.

6 de setembro de 2018 - Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora (MG): O candidato Jair Bolsonaro se submete a uma operação de urgência após ser atacado por uma facada de Adélio Bispo em ato de campanha;

12 de setembro de 2018 - Hospital Albert Einstein, em São Paulo: Bolsonaro passa por nova cirurgia de emergência em razão de uma complicação causada pela aderência das paredes do intestino;

28 de janeiro de 2019 - Hospital Albert Einstein, São Paulo: já na Presidência da República, Bolsonaro se submete a uma nova cirurgia para retirada da bolsa de colostomia;

8 de setembro de 2019 - Hospital Vila Nova Star, São Paulo: nova cirurgia para correção de uma hérnia incisional na região da área atingida pela facada;

25 de setembro de 2020 - Hospital Vila Nova Star, São Paulo: retirada de cálculo na bexiga;

14 de julho de 2021 - Hospital Vila Nova Star, São Paulo: Bolsonaro ficou quatro dias internado no hospital Vila Nova Star para tratamento de uma obstrução intestinal.

Política