PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Ex-Lava Jato diz que Moro é vítima de 'manobras jurídicas' do TCU

Colaboração para o UOL

27/01/2022 09h06Atualizada em 27/01/2022 12h16

O ex-procurador da Lava Jato Carlos Fernando dos Santos Lima disse, em entrevista ao UOL News hoje, que o ex-juiz Sergio Moro (Podemos) é vítima de 'manobras jurídicas' do TCU (Tribunal de Contas da União). A corte abriu procedimento para apurar eventual conflito de interesses na atuação do presidenciável no setor privado.

"Não concordo com as manobras jurídicas ilegais do TCU. Ele [ministro Bruno Dantas] não tem essa competência. O ministro está usando procedimentos para atingir fins políticos", criticou o advogado.

Em um vídeo publicado nas redes sociais ontem, Moro criticou o TCU e disse que vai divulgar amanhã seus rendimentos do período em que trabalhou na consultoria americana Alvarez & Marsal. A empresa foi responsável pela recuperação da Odebrecht, alvo justamente da Lava Jato.

Condenações de Lula

Durante a entrevista, o ex-procurador da Lava Jato discordou com a tese de que, se Sergio Moro não tivesse integrado o governo Bolsonaro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ainda estaria condenado.

"Não acho que a ida à política causou isso. Todos os casos envolvendo poderosos acabam sendo destruídos ao longo dos processos. Sergio Moro estaria suspeito independentemente de qualquer fato real, se estivesse no Ministério da Justiça, Judiciário ou carreira política, porque o PT é muito forte", disse.

Porém, Carlos Fernando afirmou que o ex-juiz da Lava Jato errou ao aceitar o convite para se tornar ministro. "Eu acredito que ele errou nesse aspecto, porque acreditou em alguém que não temos motivo para acreditar que valesse esse sacrifício da vida pública, mas não é por isso que Lula é um santo."

O advogado ainda disse que o procurador-geral da República, Augusto Aras, é uma 'liderança nefasta'. "Augusto Aras não merece nenhum respeito. Ele se subordinou a Bolsonaro desde o processo de substituição da procuradora Raquel Dodge. [...] Ele é uma liderança nefasta que está destruindo o MP."

Política