PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Bolsonaro diz temer que guerra na Ucrânia se prolongue demais

Presidente teme prolongamento de impactos econômicos decorrentes do conflito entre Ucrânia e Rússia - Reuters/Vitalii Hnidyi e Isac Nóbrega/PR
Presidente teme prolongamento de impactos econômicos decorrentes do conflito entre Ucrânia e Rússia Imagem: Reuters/Vitalii Hnidyi e Isac Nóbrega/PR

Do UOL, em São Paulo

04/05/2022 17h55

Em um almoço promovido pela Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa e pelo Sebrae, o presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que teme que o conflito entre Rússia e Ucrânia se prolongue, pois isso significaria continuidade da alta da inflação pelo mundo.

Segundo ele, a guerra está impactando principalmente o preço da energia e dos combustíveis e pediu resiliência e guerra aos empresários, pois a situação logo se normalizaria.

A prévia da inflação, conhecida como IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor - Amplo 15), registrou alta de 1,73% em abril, após ficar em 0,95% em março. Foi a maior variação para o mês de abril em 27 anos.

O Brasil não se posicionou de forma clara sobre o conflito, porém pouco antes da invasão russa, Bolsonaro se disse solidário à Rússia. Já o vice-presidente, Hamilton Mourão (Republicanos), se posicionou de forma clara a favor da Ucrânia.

Se tratando de economia, o país é mais impactado com a invasão russa por conta do petróleo e dos fertilizantes.

Política