PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Emenda parlamentar de R$ 450 mil banca reality show de influencers em MT

Reality show com influenciadores é custeado por emenda parlamentar de Eduardo Botelho em Cuiabá, Mato Grosso - Reprodução/@casadigital_mt
Reality show com influenciadores é custeado por emenda parlamentar de Eduardo Botelho em Cuiabá, Mato Grosso Imagem: Reprodução/@casadigital_mt

Do UOL, em São Paulo

27/06/2022 15h39Atualizada em 27/06/2022 17h17

Uma emenda parlamentar de R$ 450 mil do deputado estadual Eduardo Botelho (União Brasil), presidente da ALMT (Assembleia Legislativa de Mato Grosso), custeou um reality show de influenciadores digitais no estado.

O dinheiro foi repassado através da Secel (Secretaria Estadual de Cultura, Esporte e Lazer), segundo extrato divulgado no Diário Oficial do Estado no dia 21 de junho.

O reality "Casa Digital" reuniu dez influencers numa chácara de Cuiabá, no Mato Grosso, que produziram e postaram conteúdos sobre a cultura e turismo do estado. Os participantes concorreram a um prêmio de R$ 25 mil.

No Diário Oficial do Estado, o texto diz que o dinheiro da emenda será usado para "realizar o reality INFLUENCIADOR DIGITAL (Casa Digital)".

Em vídeo publicado no perfil oficial do reality, Eduardo Botelho aparece no evento de abertura do Casa Digital e discursa aos influenciadores. Ele os incentiva a divulgar as belezas naturais de Mato Grosso.

"Nós estamos acreditando que vocês têm como levar essa potencialidade [de Mato Grosso]. Temos o Pantanal, a Chapada, a melhor gastronomia do Brasil e o povo mais bonito do mundo", disse rindo.

"Vocês serão a caixa de ressonância para todos os outros empreendedores", afirmou Botelho.

Nas redes sociais, um dos organizadores do Casa Digital, identificado como Jajah Neves, disse que "deturparam informações" sobre a Casa Digital. Ele diz que foi apresentador e ajudou a coordenar o projeto.

No vídeo, Jajah explica que os participantes receberam 8 horas de aulas com especialistas, o que classificou como "uma imersão de oito dias" para capacitar influenciadores, e não um reality show.

"No estado de Mato Grosso está acontecendo um divisor de águas, aonde está capacitando influenciadores e vendendo as potencialidades turísticas de Mato Grosso", disse, justificando a realização da Casa Digital para "primeiro preparar, qualificar, capacitar influenciadores, e o tema da casa foi produzir conteúdos e peças para divulgar as potencialidades turísticas, culturais, regionais e a gastronomia do estado".

Um dos participantes, o modelo Eriosmar Lima agradece aos organizadores. Na foto, uma "moção de aplausos" diz que a ALMT reconhece a "participação no reality digital Casa Digital, expandindo seu talento e divulgando o potencial de Mato Grosso para o Mundo". O certificado é assinado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho.

No último sábado (25), entretanto, o próprio deputado Eduardo Botelho divulgou nota dizendo que fez uma denúncia ao Ministério Público Estadual para pedir uma investigação sobre suposto desvio de finalidade do recurso da emenda.

Segundo reportagem do jornal "O Globo", a nota de Botelho diz que ele enviou um ofício à Secretaria de Cultura informando que há indícios de divergência do propósito da emenda e solicitando a possibilidade de cancelamento da liberação ou estorno do envio da verba.

Diário Oficial do Mato Grosso em 21 de junho - Reprodução - Reprodução
Trecho do Diário Oficial do Estado que cita a emenda de Eduardo Botelho em 21 de junho
Imagem: Reprodução

O UOL tenta contato com a assessoria de imprensa do deputado Eduardo Botelho.

Em nota, a Secretaria Secretaria Estadual de Cultura, Esporte e Lazer do Mato Grosso confirmou que "os recursos para a realização do projeto Influenciador Digital (Casa Digital MT), são provenientes de emenda parlamentar impositiva, firmada pelo deputado Eduardo Botelho, e não se trata de patrocínio do Governo do Estado".

"O que é pertinente à Secel-MT, no entanto, diante de emendas impositivas, é apenas analisar a viabilidade técnica e jurídica da proposta. Cabe ao deputado, por sua vez, impor a destinação e a OSC ou município que será contemplado com o projeto.
Emendas impositivas são dispositivos constitucionais que garantem ao deputado indicar projetos, individuais ou coletivos, ao Estado, que, por sua vez, é obrigado a aceitá-los, sob risco de incorrer em crime de responsabilidade", declarou a pasta.

Política