Élcio Queiroz: Quem é o ex-PM e o que ele delatou sobre Marielle

Élcio Queiroz fechou um acordo de delação premiada com a Polícia Federal, no qual confessou sua participação no assassinato da ex-vereadora do Rio, Marielle Franco, e do motorista Anderson Gomes, em 2018.

Élcio é um ex-sargento da Polícia Militar do RJ, corporação da qual foi expulso em 2015. Ele foi preso em março de 2019, na Zona Norte do Rio de Janeiro, um ano após os assassinatos

A delação premiada foi negociada com as equipes da Polícia Federal, Polícia Penal Federal e Ministério Público do Rio de Janeiro. Segundo o ministro da Justiça, Flávio Dino, em entrevista coletiva nesta segunda-feira (24), a delação ocorreu há aproximadamente 15 dias.

No depoimento, Élcio Queiroz admitiu ter sido o motorista do veículo utilizado no ataque contra Marielle Franco, além de confirmar que os disparos que vitimaram a vereadora foram realizados por Ronnie Lessa. Outro ponto relevante de sua delação é o apontamento de Maxwell Simões, ex-bombeiro preso na manhã desta segunda-feira (24), como o responsável por realizar campanas para monitorar a rotina da ex-vereadora.

"Élcio Queiroz confirmou em delação premiada a participação dele próprio, do Ronnie Lessa e do Maxwell. Temos o fechamento desta fase, com a confirmação de tudo que aconteceu no crime. Há elementos para um novo patamar da investigação, que é descobrir os mandantes"
Andrei Rodrigues, diretor-geral da Polícia Federal

A delação de Élcio é considerada um avanço significativo na investigação do caso. Ainda segundo Dino, há indícios de participação de outras pessoas no crime. "Os fatos e as novas provas colhidas indicam isso, indicam uma forte vinculação desses homicídios, especialmente da Marielle com a atuação das milícias e do crime organizado no Rio".

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes