Conteúdo publicado há 3 meses

Convidada da Jovem Pan comete gordofobia com indicação de Dino

Uma convidada da Jovem Pan cometeu gordofobia ao comentar a indicação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, ao STF (Supremo Tribunal Federal).

O que aconteceu:

Ontem, Paula Schmitt disse no programa "Linha de Frente" que Dino não teria entregado as imagens dos ataques do 8 de janeiro às autoridades e teria, como ministro, "privado o cidadão do conhecimento daquelas imagens cruciais para um julgamento".

Na sequência, Paula afirma "não ter grandes esperanças sobre ele no STF".

"Eu até admiro o fato de ele ter sido colocado por uma cota. Não foi isso? É... Obesidade. Não sei se é obesidade. Eu ouvi dizer que tem que ter representatividade. Teve uma jornalista da CNN que falou sobre isso. Acho que ela entrou em uma cota também. Então eu sei que ela queria que ele fosse coleguinha de cota. Aí falaram que ele era pardo, né? As ideias assim que saem da cabeça de uns jornalistas é uma coisa fascinante até", afirmou Paula.

Na fala, a convidada se refere a uma declaração da jornalista Basília Rodrigues, em um programa da CNN Brasil, que noticiou que o ministro se identifica como pardo. A indicação, segundo Basília em um vídeo compartilhado por Paula nesta quinta-feira (30), seria de uma pessoa não branca, "ampliando, querendo ou não, a diversidade, pelo menos no ponto de vista de cor e não de gênero, do STF".

Paula compartilhou um trecho com a fala de Basília e ainda escreveu hoje (30): "Aqui o trecho em que a jornalista da CNN, possivelmente contratada através de cota, diz que Dino ajudou a diversidade 'em parte' por se identificar como pardo".

O UOL tenta contato com o ministro Flávio Dino e o Ministério da Justiça e da Segurança Pública. A matéria será atualizada tão logo haja manifestação.

Ao UOL, a CNN Brasil disse que repudia veementemente qualquer tipo de discriminação e exaltou o trabalho da jornalista Basília Rodrigues. "A jornalista é hoje uma das profissionais mais competentes do Brasil, mérito reconhecido por meio de premiações como o Troféu Na Telinha 2023, que fez dela a Melhor Analista do ano por meio de voto popular. Em recente eleição promovida pelo Portal dos Jornalistas/Jornalistas&Cia., Basília também figura na lista de Jornalistas Negros e Negras Mais Admirados do país, sendo ainda finalista ao Prêmio Engenho de Comunicação, tradicional premiação de Brasília aos melhores profissionais do segmento."

"As conquistas são fruto única e exclusivamente da credibilidade alcançada por Basília junto à nossa prestigiosa audiência, capital do qual a CNN Brasil muito se orgulha. Qualquer insinuação ou declaração de caráter discriminatório é inadmissível e inegociável", finalizou a emissora.

Continua após a publicidade

Jovem Pan pede desculpas após a repercussão

Nesta quinta-feira (30), o apresentador Fernando Capez começou o programa fazendo um esclarecimento e se dirigindo a Dino pedindo desculpas. O apresentador disse que nunca fez ataques pessoais durante sua carreira política: "Nunca se deve fulanizar uma discussão. É importante sempre mantê-la em padrões de civilidade e respeito".

Apresentador cita papel de jurista de Dino. "O ministro Flávio Dino é um jurista. Você pode não gostar dele. Você pode achar que ele teve uma ação mais histriônica como ministro da Justiça. Mas ele é um jurista. Ele foi 1º colocado no concurso da magistratura federal. E ele está dizendo que assumirá o papel de jurista e de juiz no STF, deixando qualquer resquício ideológico do lado de fora. Nós não devemos jamais alimentar o debate com informações falsas ou com ofensas pessoais e muito menos desqualificação."

Capez afirmou que pessoalmente tem um "enorme respeito e ótima convivência com o ministro Flávio Dino" e disse que é necessário "respeito e civilidade" mesmo em um debate político e polarizado.

Ele esclareceu que Paula era convidada e participava pela primeira vez do programa ontem. "Ela fez um comentário inadequado, chegou a ser, inclusive, preconceituoso, desnecessário e que em nada contribui para o debate sobre a pessoa do ministro Flávio Dino. Não lhe imputou nenhum crime, não fez nenhum tipo de agressão maior, mas fez um comentário que eu não gostei. Na mesma hora eu chamei a palavra e fiz a correção. Mas entendo que é importante reiterarmos e deixar muito claro."

Continua após a publicidade

O apresentador ainda declarou que os convidados podem expressar suas opiniões e pediu desculpas a Dino. "Em meu nome, mas principalmente em nome do grupo Jovem Pan, digo que não compactuamos com nenhuma forma de preconceito e desrespeito. Esse posicionamento que eu e o grupo avaliamos como equivocado e infeliz da nossa convidada."

Após o posicionamento, Paula chamou a empresa de "Jovem Pano" e acusou o grupo de censura por ter retirado a sua declaração do ar. "Não espero favor de nenhum juiz, e nenhum órgão do cartel de imprensa vai usar o silenciamento da minha opinião como moeda de troca."

Questionada pelo UOL, a Jovem Pan reforçou que os "convidados tem liberdade para expressar seus pensamentos e ideias". "Mas o Grupo Jovem Pan não compactua com nenhuma forma de preconceito. Por isso, nos desculpamos com o ministro Flávio Dino pelo pensamento, que avaliamos como equivocado e infeliz, da nossa convidada."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes