Conteúdo publicado há 2 meses

Dino passa na CCJ e no Senado, diz Eliziane: 'Com votos acima do mínimo'

O ministro da Justiça Flávio Dino terá uma votação "bem acima" do mínimo necessário no Senado para ser aprovado ao STF (Supremo Tribunal Federal), disse a senadora Eliziane Gama (PSD-MA) no UOL News da manhã desta quarta-feira (29).

Acredito que passa na CCJ e passa no Plenário. A gente percebe, claramente, um otimismo em relação a essa aprovação.

Dino sempre teve uma posição muito firme e muito aguerrida, porque é político, senador e ministro. Ele sempre teve um posicionamento e partiu muito para o embate.

Ele inicia o pedido de voto aos colegas e faz isso como todo indicado faz, que é um processo democrático e faz parte da harmonia entre os poderes.

Acredito que ele passará com uma votação bem acima do mínimo necessário, que é de 41 votos.

Ida de Dino ao Senado

Dino disse hoje em ida ao Senado que ministros da Corte não têm "partido, ideologia ou lado político" e que faz parte do mundo político, mas que o deixará caso seja aprovado. "Quem pretende ir ao Supremo, ao vestir a toga, deixa de ter lado político", declarou, acrescentando que tem falado com todos os senadores, independentemente de posicionamento político.

O ministro fez uma rápida visita ao Senado hoje pela manhã para reuniões com o primeiro vice-presidente do Senado, Veneziano Vital do Rêgo (MDB), e com o senador Weverton Rocha (PDT), relator da indicação de Dino ao STF na Comissão de Constituição de Justiça.

Dino, que já começou o processo de "beija-mão" com senadores, está dando sequência a um plano de abordagem dos parlamentares. Ele foi aconselhado a começar as conversas com aliados e só depois partir para a oposição, segundo apurou UOL.

Continua após a publicidade

Para um cargo no Judiciário, isso não é relevante, se a pessoa é ideologicamente de um lado ou de outro. Ministro do Supremo não tem partido, ideologia ou lado político

Flávio Dino, sobre indicação para o STF

Preparação para a sabatina

Dino disse que, se obtiver maioria na sabatina, "mudará de roupa". "No momento em que o presidente da República faz a indicação, evidentemente, mudo a roupa que visto. Essa roupa de hoje é em busca do apoio do Senado, a roupa que vou vestir se merecer a aprovação é a roupa que vestirei sempre, que independe de governo ou oposição".

A sabatina de Dino no Senado foi marcada para o dia 13 de dezembro.

Ele terá de responder sobre violência, "dama do tráfico" e atos de 8 de janeiro. Senadores ouvidos pelo UOL afirmam que as estratégias ainda serão discutidas, mas já estão no radar perguntas polêmicas. Os temas são: a trajetória política de Dino na esquerda, além da atuação dele à frente da pasta nos ataques golpistas de 8 de janeiro, no combate a violência e na ida da "dama do tráfico" ao ministério.

Continua após a publicidade

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: de segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja a íntegra do programa:

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora