Conteúdo publicado há 3 meses
OpiniãoPolítica

Kennedy: Lula termina ano bem; não cobrar militares por 8/1 é ponto fraco

O primeiro ano do terceiro mandato de Lula tem como principal ponto negativo não ter cobrado a responsabilidade dos militares pelos atos golpistas de 8 de janeiro, afirmou Kennedy Alencar ao UOL News desta sexta (29).

O colunista afirma, no entanto, que, em linhas gerais, o saldo da gestão é positivo.

O balanço político de 2023 é muito positivo para Lula. Há um ano, tínhamos economia e políticas destruídas, além de acampamentos golpistas. Um ano depois, Lula salvou a democracia brasileira e recolocou o Brasil no rumo certo do ponto de vista econômico. Há muitos problemas e questões preocupantes, mas Lula reconectou o Brasil ao planeta.

A política externa tem um eixo ambiental. Há contradições, mas isso é debatido amplamente por nós todos.

Estamos discutindo políticas públicas, e não golden shower.

Lula priorizou o combate à desigualdade social e procurou, dentro da margem de manobra que tem, governar para os mais pobres. Do ponto de vista geral, Lula termina o ano muito bem.

Para Kennedy, "perdeu-se a oportunidade de enquadrar as Forças Armadas no papel que elas têm: bater continência para a vida civil".

[Foi negativo] Não ter pegado mais pesado com os militares e cobrado maior responsabilidade deles pelo que aconteceu. O ministro da Defesa José Múcio contemporizou demais com o golpismo e com a mentalidade golpista. O 8/1 vai entrar para a história do Brasil como uma infâmia, um dos momentos mais baixos da história republicana brasileira. É importante lembrar para não repetir. Kennedy Alencar, colunista do UOL

Kupfer: Como Bolsonaro, Milei tenta tirar Argentina do concerto mundial

Continua após a publicidade

Após Javier Milei anunciar a retirada da Argentina do Brics, José Paulo Kupfer projeta um futuro negativo para o país vizinho no cenário internacional.

O colunista vê semelhanças entre a política externa do presidente argentino e a praticada pelo governo de Jair Bolsonaro.

A Argentina é muito mais dependente do Brasil do que o contrário. Quem perde mais com isso é a Argentina, com todas as maluquices de Milei, que não sei como conseguirá andar. O MIlei está tentando tirar a Argentina do concerto mundial, mais ou menos como Bolsonaro conseguiu tirar o Brasil do conjunto das relações com os outros países. José Paulo Kupfer, colunista do UOL

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Veja a íntegra do programa:

Continua após a publicidade

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes