Conteúdo publicado há 1 mês

Interferência da China em estatais é exemplo para o Brasil, diz Gleisi

A presidente do PT e deputada federal Gleisi Hoffmann disse, em visita à China, que o modelo do país de interferir nas empresas estatais é um "ensinamento" para o Brasil.

O que aconteceu

"O Estado têm influência sobre as empresas estatais, e isso faz toda a diferença para o planejamento que eles fazem", declarou Gleisi. A fala, presente em vídeo publicado pelo Brasil de Fato, foi feita na chegada da parlamentar à China, na terça-feira (9).

Acho que esse é um ensinamento que temos que ter no Brasil. Nós temos o respeito às empresas privadas, estimulamos, queremos investimento privado. Mas o governo, o Estado brasileiro, também tem que ter influência sobre as empresas estatais, elas são instrumento de planejamento. E, em uma economia pra dar certo, você precisa ter o mínimo de planejamento.
Gleisi Hoffmann

Declaração de Gleisi ocorre em momento de tensão entre direção da Petrobras e o governo federal. A discussão sobre a permanência de Jean Paul Prates no cargo de presidente surgiu após ser levantada a possibilidade da Petrobras não pagar quase R$ 44 bilhões em dividendos extraordinários a acionistas.

A Petrobras afirmou que ainda não há decisão sobre os dividendos extras. A estatal disse na última semana que o pagamento dos R$ 43,9 bilhões em dividendos extraordinários será discutido e votado na Assembleia Geral de Acionistas, marcada para 25 de abril.

Haddad negou que governo queira interferir nas decisões do Conselho da empresa. Na segunda-feira (8), o ministro da Fazenda também afirmou que os números da empresa estão chegando alinhados com o esperado e que o caixa da companhia está "robusto", mas ainda destacou que o plano de investimentos da Petrobras representa um desafio.

50 anos das relações Brasil-China motivou viagem

Gleisi está no país para atividades do PT com o Partido Comunista da China. A deputada participou da 7ª edição do seminário teórico PCCH-PT, segundo publicado em suas redes sociais.

A deputada levou à China uma carta de Lula em referência aos 50 anos das relações diplomáticas entre os países. A data será celebrada no dia 15 de agosto. "Hoje, a relação Brasil-China é importante não apenas para nossos países, mas também para o mundo", escreveu Lula a Xi Jinping, presidente do país.

Continua após a publicidade

Deixe seu comentário

Só para assinantes