Conteúdo publicado há 1 mês

Musk questiona indicação de Zanin ao STF feita por Lula e ainda cita Dino

O bilionário Elon Musk, dono do X (antigo Twitter), questionou nesta sexta-feira (12) a indicação do "advogado pessoal" do presidente Lula (PT), Cristiano Zanin, ao STF, em 2023. Ele também citou Flávio Dino, outro ministro indicado pelo petista ao Supremo Tribunal Federal

O que aconteceu

O dono do X fez o comentário em uma postagem na manhã de sexta-feira (12). A página "The Incorrupt" questionou, em inglês e português, se alguém disse a Musk que Lula nomeou o "advogado pessoal" para o STF. O texto também afirmou que Zanin era "o mesmo advogado que entrou com uma ação judicial durante as eleições para pedir a suspensão de contas de mídia social de 67 pessoas identificadas como apoiadoras de Bolsonaro, com a perda de seus direitos políticos".

Musk respondeu: "Seu advogado pessoal na Suprema Corte?" A página ainda respondeu e acusou o Congresso Nacional de "conveniência" com a indicação de Zanin, que passou pela sabatina no Senado Federal. "O sistema político/judiciário do Brasil transmite insegurança jurídica ao mundo", afirmou a página.

De tarde, Musk voltou a fazer comentários sobre o tema em outra publicação no X. No texto, uma pessoa diz que Lula nomeou "seu advogado pessoal para o Supremo" e aponta que a "situação está muito complicada no Brasil". O bilionário respondeu: "Grande conflito de interesses".

O dono do X também respondeu a uma postagem do deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG). O bolsonarista escreveu, em inglês, que Lula "não apenas" nomeou o seu advogado pessoal, como fez o mesmo com o seu ex-ministro da Justiça, Flávio Dino, "antigo aliado do partido comunista". O parlamentar ainda disse que o STF "não respeita o Congresso" e colocou fotos do ministro. Dino foi filiado ao PCdoB (Partido Comunista do Brasil) entre 2006 e 2021.

"Do Partido Comunista?", questionou Musk a Nikolas. O político brasileiro ainda respondeu "exatamente" e colocou outras fotos de Dino.

Continua após a publicidade

Musk x Moraes

Musk atacou Moraes em publicações no X e insinuou fechar o escritório da rede no Brasil. Empresário questionou o ministro do STF do porquê de "tanta censura no Brasil". Ele fez o comentário em uma postagem no perfil oficial de Moraes na plataforma.

Moraes é relator de inquéritos sensíveis no Supremo e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O ministro é autor de uma série de despachos que suspenderam perfis nas redes sociais (entre elas o X), de investigados por suposta disseminação de desinformação e ataques às urnas eletrônicas.

X disse que foi forçado, por meio de decisões judiciais, a "bloquear determinadas contas populares no Brasil". A plataforma informou que comunicou os donos das contas que tiveram que tomar essas medidas, mas declarou não saber as motivações pelas quais as ordens de bloqueio foram emitidas pela Justiça. Os nomes das contas afetadas não foram divulgados.

O empresário pediu a renúncia ou impeachment de Moraes e o chamou de "Darth Vader do Brasil". Em uma postagem, ele disse que vai "revelar" como as decisões de Moraes supostamente "violam" as leis brasileiras. Musk também atacou o presidente Lula e questionou as indicações de Flávio Dino e Cristiano Zanin ao STF.

Continua após a publicidade

Após os ataques, Moraes determinou a abertura de inquérito pela PF para apurar a conduta do empresário. O documento exige a apuração em relação aos crimes de obstrução à Justiça, inclusive em organização criminosa, e incitação ao crime. O ministro também determinou a inclusão de Musk como investigado no inquérito das milícias digitais, que já tramita na Corte.

Deixe seu comentário

Só para assinantes