Conteúdo publicado há 1 mês
OpiniãoPolítica

Sakamoto: Trumpistas radicais usam comissão para atacar Brasil

A comisão do Congresso dos EUA que divulgou decisões sigilosas de Alexandre de Moraes sobre remoção ou suspensão de perfis no X (antigo Twitter) é usada para atacar o Brasil e presidida por um deputado republicano que é apoiador radical de Donald Trump , afirmou o colunista Leonardo Sakamoto no UOL News desta quinta (18).

Esse é o contexto que precisamos entender. Não é que a Câmara dos Deputados como um todo votou pela moção de censura ao Judiciário brasileiro ou está pedindo por uma intervenção. É uma comissão chefiada por um trumpista muito radical, simpatizante de Bolsonaro e com quem Eduardo Bolsonaro tem uma abertura.

É a mesma coisa de um estrangeiro descer neste momento na CPI do MST ou qualquer outra controlada pela oposição e verificasse um debate no qual se diz que 'o bolsonarismo foi injustiçado'. É preciso ver o contexto. E são trumpistas radicais dos EUA usando uma comissão para atacar o Brasil. Leonardo Sakamoto, colunista do UOL

Sakamoto explicou que o deputado Jim Jordan, presidente desta comissão no Congresso dos EUA, participou ativamente da tentativa de Donald Trump contestar o resultado das eleições presidenciais, nas quais foi derrotado por Joe Biden, e questionar a lisura do processo.

Ele é apontado como um dos deputados mais trumpistas da Câmara e fundamental nos esforços de Donald Trump para tentar subverter as eleições de 2020. Jordan participou de várias reuniões pós-eleitorais nas quais altos funcionários da Casa Branca e o advogado de Trump discutiram 'estratégias para contestar a eleição'. A principal delas era de que ela havia sido contaminada por fraude.

Jordan tentou ser presidente da Câmara e perdeu, mesmo tendo maioria republicana. Ele é malvisto pelos próprios colegas republicanos, que o consideram agressivo, desleal, faz bullying e tem métodos muito próximos de Trump. Desde que está em seu posto [2007], ele não aprovou nenhuma lei, mas apoiou fortemente o projeto que tentava colocar na Constituição que família é composta apenas por um homem e uma mulher. Leonardo Sakamoto, colunista do UOL

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Continua após a publicidade

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes