Conteúdo publicado há 1 mês

Lei não deve vigiar expressões, mas refletir riqueza da língua, diz ex-juiz

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes acerta ao suspender leis que proíbem o uso e o ensino da linguagem neutra, disse o ex-juiz eleitoral Márlon Reis em entrevista ao UOL News nesta terça (21).

Fico impressionado como certos 'liberais' querem estabelecer como as pessoas falarão. A Constituição estabelece regras da matriz educacional e não estipulou obrigatoriedades. Algumas questões precisam ser revistas, mas a lei não pode vigiar maneiras de expressão que tenham lógicas e justificativas, muitas vezes filosóficas, por parte de quem quer que sejam.

Não é o Estado quem vai estabelecer esses tipos de diretrizes. Isso é o que decorre quando se analisa a Constituição. Lá, não estipula uma caixa, um ambiente quadrado, fechado, 'puro', de expressão linguística. O que hoje pode ser chocante para alguns, amanhã pode ser um padrão. A língua é algo vivo e a lei deve refletir essa vida e riqueza de expressões culturais e filosóficas. Márlon Reis, ex-juiz eleitoral

Para Reis, a decisão de Moraes apenas respeitou os princípios constitucionais e evitou um problema ainda maior.

O que Moraes decidiu monocraticamente foi apenas que município não tem poder sobre nossa Constituição de legislar sobre esse tipo de matéria. Aliás, o ministro sequer inovou e não é uma decisão isolada dele.

Não faz o menor sentido imaginar os mais de 5,5 mil municípios brasileiros legislando sobre o uso da língua portuguesa, estabelecendo normas curriculares e de uso de linguagem. Há uma diretriz constitucional sobre isso. Moraes nada mais fez do que aplicar a Constituição. Márlon Reis, ex-juiz eleitoral

Sakamoto: Popularidade maior pode alavancar sonho presidencial de Leite

O crescimento da popularidade digital de Eduardo Leite (PSDB) em meio à tragédia no Rio Grande do Sul pode impulsionar os planos do governador de se lançar como candidato à presidência da República em 2026, afirmou Leonardo Sakamoto.

Continua após a publicidade

Com a tragédia, Leite acaba sendo catapultado e sobe por conta dessa visibilidade, embora seja criticado pelo que aconteceu com medidas ambientais durante seu governo. Mas ele está em evidência. É claro que, com uma injeção com popularidade maior e a depender do que fizer na tragédia, pode ajudar a alavancar e tentar tirar da gaveta o sonho presidencial de Leite. Mas ainda é muito cedo. Leonardo Sakamoto, colunista do UOL

Raquel Landim: José Dirceu está em busca da redenção nas urnas

Em meio à expectativa do julgamento do STF (Supremo Tribunal Federal) que pode extinguir sua pena por corrupção passiva na Lava Jato, José Dirceu almeja retomar a carreira política e se redimir nas urnas, analisou Raquel Landim A colunista vê uma tentativa do governo Lula em "reescrever a História" em relação às investigações da Lava Jato.

José Dirceu quer a redenção. Ele colocou isso de uma maneira muito clara quando esteve no Senado recentemente e não cruzou de lá para a Câmara dos Deputados de propósito. Dirceu atendeu a um convite do Senado para falar sobre a ditadura, mas já disse em várias conversas que só cruza para a Câmara quando tiver um mandato eletivo novamente. Ele quer essa redenção e essa resposta das urnas. Dirceu sente a necessidade de receber esse respaldo do voto e, com isso, voltar ali para dar esta resposta política. Raquel Landim, colunista do UOL

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Continua após a publicidade

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Deixe seu comentário

Só para assinantes