PUBLICIDADE
Topo

Governo do RS anuncia novo modelo de distanciamento, que descarta lockdown

6.abr.2020 - Homem com máscara no Centro Histórico de Porto Alegre - Evandro Leal/Agência Freelancer/Estadão Conteúdo
6.abr.2020 - Homem com máscara no Centro Histórico de Porto Alegre Imagem: Evandro Leal/Agência Freelancer/Estadão Conteúdo

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, de Porto Alegre

10/05/2020 00h12

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), anunciou um novo modelo de distanciamento social como estratégia de combate ao coronavírus. Nele, o estado foi dividido em 20 regiões que passam a ser classificadas por quatro bandeiras diferentes: amarela, laranja, vermelha e preta. A classificação leva em conta a propagação da doença e a capacidade do sistema de saúde em cada região.

A bandeira preta, considerada mais restritiva, não estabelece o lockdown, mas define restrição máxima às atividades econômicas. Chamado de Distanciamento Controlado, o conjunto de medidas prevê a "mitigação dos efeitos econômicos da pandemia, uma vez que as restrições de circulação impostas à população trouxeram consequências negativas ao comércio", segundo explica o governo gaúcho.

Para justificar o modelo, o governador salientou que recorreu a "muita ciência e análise de dados".

"O coronavírus está aí e permanecerá por mais alguns meses. Teremos de conviver com essa situação, e a imensa maioria da população ainda não entrou em contato com o vírus, ou seja, não tem sistema imunológico preparado para a doença. Se o vírus circular menos, exigirá menos do nosso sistema de saúde e, assim, conseguiremos prestar atendimento a todos que tenham necessidade", explicou Leite.

"Estamos em um momento de grande incerteza. Tentamos entender o processo e construir uma forma de conviver com a epidemia ao mesmo tempo em que lidamos com os efeitos não só na saúde, como também na economia e na nossa vida cotidiana", complementou a secretária Leany Lemos, que liderou o processo de elaboração do modelo.

Pela nova metodologia, apenas a região de Lajeado —que abrange 37 municípios— recebeu a bandeira vermelha. Em Lajeado, há 181 casos oficiais de coronavírus e oito mortos.

Já Passo Fundo, no norte do estado, recebeu a classificação laranja. A cidade teve 17 mortos por coronavírus —mesmo número que Porto Alegre— e 253 casos oficiais. Conforme o governo estadual, houve uma melhora na situação da cidade, com queda nas internações hospitalares pela doença.

Com a definição das 20 regiões, as atividades dos clubes de futebol poderão funcionar, desde que obedecendo aos protocolos e colocando em prática as restrições determinadas pelas bandeiras vigentes. No entanto, como a retomada dessas atividades envolve a circulação de pessoas, inclusive entre regiões, a decisão sobre a realização de campeonatos, como o Gauchão, dependerá de avaliação da Federação Gaúcha de Futebol.

O monitoramento da situação de cada região será diário, mas a atualização da bandeira ocorrerá semanalmente, divulgada sempre aos sábados, valendo para a semana seguinte.

Entre a série de medidas, está o uso obrigatório de máscara a partir de segunda-feira (11) em ambientes fechados coletivos, com proximidade de pessoas, como estabelecimentos, portarias de edifícios, transporte coletivo e lojas.

Como funciona

Cada região será avaliada por meio de 11 indicadores consolidados em dois grandes grupos com pesos iguais na definição final: 1) propagação (velocidade do avanço, estágio da evolução e incidência de novos casos sobre a população); 2) capacidade de atendimento (capacidade de atendimento e mudança da capacidade de atendimento).

Cada cor da bandeira indica um risco maior ou menor de contágio:

  • Amarela - risco médio/baixo

- A região encontra-se com alta capacidade do sistema de saúde e baixa propagação da doença
- Regiões nesta faixa: 6 (Uruguaiana, Taquara, Ijuí, Santa Rosa, Bagé e Cachoeira do Sul)

  • Laranja - risco médio

- Significa que a região está com um dos dois cenários: média capacidade do sistema de saúde e baixa propagação do vírus ou alta capacidade do sistema de saúde e média propagação do vírus
- Regiões nesta faixa: 13 (região de Santa Maria, Capão da Canoa, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Santo Ângelo, Cruz Alta, Palmeira das Missões, Erechim, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul)

  • Vermelha - risco alto

- Região encontra-se em um dos dois cenários: baixa capacidade do sistema de saúde e média propagação do vírus ou média/alta capacidade do sistema de saúde, porém alta propagação do vírus
- Regiões nesta faixa: 1 (Lajeado)

  • Preta - risco altíssimo

- Região encontra-se com baixa capacidade do sistema de saúde e alta propagação do vírus
- Número de regiões nesta faixa: 0

Errata: o texto foi atualizado
Diferente do informado anteriormente, Lajeado foi classificada na faixa vermelha, e não laranja. E Passo Fundo na faixa laranja, e não amarela. A informação foi corrigida.

Coronavírus