PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
10 meses

Covid: Saúde confirma 679 novas mortes e Brasil passa de 700 mil casos

19.mai.2020 - Coronavírus: registro de um velório no Cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo (SP) - Mauro Borges/Futura Press/Estadão Conteúdo
19.mai.2020 - Coronavírus: registro de um velório no Cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo (SP) Imagem: Mauro Borges/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

08/06/2020 18h50Atualizada em 09/06/2020 10h41

Um dia após corrigir duplicações e reduzir 857 mortes sem apresentar uma explicação por 15 horas, o balanço mais recente do Ministério da Saúde sobre a pandemia do coronavírus no país, divulgado desta vez às 18h30, indica que foram confirmados nas últimas 24 horas 15.654 novos casos e 679 óbitos.

Somados esses aos números dos outros dias, o Brasil tem hoje 37.134 mortes e 707.412 pessoas já diagnosticadas, segundo a pasta. Faltam, no entanto, dados de dois estados: Santa Catarina e Alagoas.

A atualização foi feita durante coletiva realizada hoje no Palácio do Planalto, em que o governo anunciou que voltará a divulgar a atualização sobre a pandemia do coronavírus no Brasil às 18h.

Os números oficiais revelados pela pasta são inferiores aos obtidos em um levantamento feito por um consórcio inédito formado por UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra. Apuração feita em conjunto a partir de dados das secretarias estaduais de saúde, revela 19.631 novos casos e 849 novas mortes.

Roraima e Sergipe ainda não atualizaram seus números hoje, por isso foram contabilizados os registros desses estados feitos ontem à noite. A conta de novos casos e óbitos tem como referência os dados das secretarias apurados pelo G1 até as 20 horas (de Brasília) de ontem (7).

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro (sem partido) de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de Covid-19, os veículos de comunicação formaram uma iniciativa para trabalhar de forma colaborativa a partir de hoje e buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

Pasta promete dados mais específicos

Os números eram divulgados durante as coletivas de imprensa na época em que Luiz Henrique Mandetta era o ministro da Saúde, mas desde então vinham saindo cada vez mais tarde. O site oficial, no entanto, segue sem apresentar os números acumulados de casos e óbitos no Brasil.

Ontem, o governo contribuiu ainda mais para a crise instaurada pela sonegação de dados do coronavírus, iniciada desde que os números completos de casos e óbitos foram retirados do site oficial. Em um primeiro momento, o ministério anunciou 1.382 mortes na noite de ontem; menos de duas horas depois, o número passou para 525, uma redução de 857.

O Ministério da Saúde informou apenas no começo da tarde hoje que corrigiu duplicações e atualizou os dados. A correção ocorreu cerca de 15 horas após uma confusão nos números anunciados pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Hoje, durante a coletiva, o ministério prometeu que a nova plataforma trará mais detalhes específicos dos casos em estados, regiões e no Brasil. O governo ainda salientou que trará os dados completos.

Sobre o boletim liberado hoje, o secretário Eduardo Macário declarou que os dados dos dois estados que ficaram de fora hoje serão acrescentados amanhã. "A informação que nós temos até o momento é dos estados que nos encaminharam. O estado que não encaminhar até determinado horário, a informação será mantida igual a data anterior. Assim que o dado for atualizado ele será acrescentado no sistema".

Vale ressaltar que o prazo de 24 horas não se refere ao período em que as pessoas apresentaram sintomas ou vieram a óbito, mas o dia em que os casos passaram a constar do balanço.

Governo muda balanço, e depois se corrige

O Ministério da Saúde informou no começo da tarde de hoje que corrigiu duplicações e atualizou os dados divulgados ontem à noite sobre casos e mortes provocados pelo novo coronavírus.

A correção ocorreu cerca de 15 horas após uma confusão nos números anunciados pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em um primeiro momento, a pasta anunciou 1.382 mortes por covid-19 no país, porém, mais tarde alterou o número para 525, uma diferença de 857.

Bahia culpa Saúde por "sumiço" de casos

A Secretaria de Saúde da Bahia responsabilizou o Ministério da Saúde pelo erro na contabilização de mortes pelo novo coronavírus. Ontem, em meio à crise instaurada pela sonegação de dados do coronavírus por parte do governo federal, a pasta fez uma correção no número de mortos excluindo o registro de 857 vítimas.

O estado da Bahia, e outros estados que tiveram seus números alterados, não foram citados na errata produzida pelo ministério.

Contatada pela reportagem do UOL, a secretaria de Saúde daquele estado afirmou que a responsabilidade pelo erro é do ministério, e que os números consolidados foram divulgados horas antes do documento da pasta federal ser disponibilizado.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado inicialmente na nota e reproduzido na home, o número total de casos no Brasil é de 707.412 e de mortes chega a 37.134. A informação foi corrigida.

Coronavírus