PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Com covid acelerada no AM, Justiça fala em mais auxílio e proíbe jatinho

Após colapso da saúde no Amazonas em razão da alta crescente na curva de infectados pela covid-19, mobilização levou recursos em falta a hospital - Eloá Silva/Estadão Conteúdo
Após colapso da saúde no Amazonas em razão da alta crescente na curva de infectados pela covid-19, mobilização levou recursos em falta a hospital Imagem: Eloá Silva/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

03/02/2021 22h54

O Amazonas registrou só hoje 150 mortes por covid-19. O número representa 12% dos 1.209 novos óbitos que foram apontados no país por causa da doença. Pelo 14º dia seguido, o país registrou média móvel superior a mil mortes, segundo o levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte.

A média móvel de óbitos —comparação dos dados dos últimos 14 dias da doença— teve aumento de 21% no Amazonas. O número é proporcionalmente mais baixo que a aceleração registrada na segunda-feira (62%) e terça (37%), mas demonstra que a pandemia continua acelerada no estado em fevereiro.

Jatinho, não; auxílio, sim

Enquanto o Amazonas luta contra o colapso no sistema de saúde causado pelo crescimento de casos e mortes por covid-19, a Justiça Estadual disse que é imoral que no estado seja contratado um jatinho executivo por R$ 10 milhões.

Segundo a decisão, o contrato fere o decreto estadual que proíbe gastos sem vinculação com a pandemia.

Pessoas agonizam sem leitos de UTI nem oxigênio.
Flávio Freitas, juiz, ao proibir licitação de jatinho do governo do Amazonas

O governador Wilson Lima disse que a licitação era proposta da Casa Militar e que ele não assinou nenhum contrato. Ele disse que vai reanalisar a despesa.

Já a 3ª Vara Federal Cível em Manaus determinou que o governo federal retome o pagamento do auxílio emergencial aos amazonenses, com duas novas parcelas mensais de R$ 300.

A ação foi proposta pela Defensoria Pública da União no estado em virtude do agravamento da pandemia de covid-19 no Amazonas.

As últimas parcelas do auxílio emergencial federal foram pagas em dezembro do ano passado. O governo do Amazonas começou a pagar ontem (2) um auxílio de R$ 600 dividido em três parcelas de R$ 200. E a prefeitura de Manaus está finalizando um auxílio local de seis parcelas de R$ 200.

Vacina para indígenas

A prefeitura de Belém, no Pará, acatou recomendação do MPF (Ministério Público Federal) e incluirá entre os grupos prioritários para receber a vacina indígenas venezuelanos da etnia warao, refugiados na cidade.

A recomendação equiparou a situação dos warao à de moradores de rua, com quadro de desnutrição e alta exposição à covid.

CPI da covid avança no Senado

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) anunciou hoje que obteve as 27 assinaturas necessárias para abrir a CPI da covid no Senado.

De acordo com o requerimento em que pede a abertura da investigação, objetivo da comissão será "apurar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento da covid-19 no Brasil e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas".

Solidariedade

O Rio de Janeiro se tornou o 17º estado a receber pacientes com quadro moderado de covid-19 vindos do Amazonas, encaminhados em virtude do colapso da saúde do estado da região norte.

Dezessete pacientes desembarcaram no Galeão e foram encaminhados ao Hospital Federal do Andaraí, na zona norte do Rio.

No Espírito Santo, dois pacientes vindos de Manaus tiveram alta hoje e um deles, Afrânio Johnson, deixou uma carta de agradecimento divulgada nas redes sociais pelo governador Renato Casagrande (PSB).

A palavra que define tudo o que foi feito por mim e meus conterrâneos é gratidão. Saímos de Manaus sem saber o que íamos receber pela frente, pois estávamos debilitados, fracos e sem 'ar' (...) Mas o que aconteceu foi muito amor, carinho, humanismo e muito profissionalismo.
Afrânio Johnson, paciente recuperado de covid-19

Coronavírus