PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Conteúdo publicado há
1 mês

CE: Camilo diz que não irá a eventos com Bolsonaro por risco de aglomeração

Governador do Ceará, Camilo Santana sobre visita de Bolsonaro: "Tenho todo respeito à autoridade, mas não posso compactuar com aquilo que considero um grave equívoco" - 09.out.2018 - Renato S. Cerqueira/Futura Press/Folhapress
Governador do Ceará, Camilo Santana sobre visita de Bolsonaro: 'Tenho todo respeito à autoridade, mas não posso compactuar com aquilo que considero um grave equívoco' Imagem: 09.out.2018 - Renato S. Cerqueira/Futura Press/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

26/02/2021 11h17

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), disse que não participará dos eventos que terão a presença do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) hoje no estado por causa do risco de aglomeração em meio ao aumento de casos e óbitos registrados por causa da pandemia do novo coronavírus.

"Sobre a vinda do Presidente da República, ao Ceará, amanhã, para a assinatura de ordens de serviço e visitas a obras, conforme a imprensa tem noticiado, não estarei presente a qualquer desses eventos, diante da real possibilidade de muitas aglomerações, algo frontalmente contrário à gravíssima crise sanitária que vivemos neste momento, com o aumento preocupante de casos e óbitos. Tenho todo respeito à autoridade, mas não posso compactuar com aquilo que considero um grave equívoco", escreveu ele em sua conta no Twitter ontem.

Na quarta-feira (24), no dia em que o Brasil atingiu a marca de 250 mil mortos em decorrência da covid-19, eventos oficiais que contaram com a participação de Bolsonaro promoveram aglomeração e muitos dos convidados sequer utilizavam máscara de proteção facial.

No último dia 17, o governador cearense anunciou toque de recolher (entre 22h e 5h) por dez dias, além da suspensão de aulas presenciais, como medidas para combater a pandemia.

O Ceará registra mais de 11 mil óbitos em decorrência da covid-19 e 421.234 casos confirmados, segundo dados do governo estadual.

De acordo com a última atualização da secretaria estadual de Saúde, realizada no domingo (20), 87,4% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes com covid-19 do estado estão ocupados.

Agenda

A chegada do presidente ao Ceará está prevista para as 11h25. Segundo sua agenda oficial, ele participa da cerimônia de assinatura de ordens de serviço da Travessia de Tianguá, das Variantes de Frios e Umirim (BR-222/CE) e do Viaduto de Horizonte (BR-166/CE) e visita a duplicação da BR-222 e o anel viário de Fortaleza. Bolsonaro deve retornar a Brasília no início da noite.

Nesta semana, ele também esteve em Foz do Iguaçu (PR) para a cerimônia sobre a revitalização do sistema elétrico de alta tensão de Furnas e no Acre, onde sobrevoou áreas atingidas pelas enchentes e entregou vacinas contra o coronavírus.

MPF cobra medidas para evitar aglomerações

Ontem, o MPF (Ministério Público Federal) enviou ofício ao Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) e às prefeituras das cidades cearenses de Fortaleza, Horizonte e Tianguá pedindo medidas para conter aglomerações durante a visita de Bolsonaro.

"Os números da pandemia em todo estado inspiram atenção redobrada, permanecendo o isolamento social como política pública mais eficiente e indispensável no combate à disseminação do vírus", afirmou o MPF no ofício.

Em nota, o órgão disse que o evento com Bolsonaro possui o potencial de "formação de aglomeração" e lembrou que o presidente chega ao Ceará acompanhado de uma comitiva do Ministério da Infraestrutura.

Saúde