PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Veja o que funciona na fase vermelha do Plano São Paulo

Lucas Borges Teixeira, Rafael Bragança e Allan Brito

Do UOL e Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/03/2021 14h42

A partir do próximo sábado (6), todo o estado de São Paulo entra na fase vermelha do Plano São Paulo, de controle da pandemia do novo coronavírus. Inicialmente, a medida vale até o dia 19, mas pode ser prorrogada.

Nesta fase, apenas serviços essenciais —como mercado e farmácias— ficam abertos, mas com capacidade reduzida. O objetivo é frear o avanço da pandemia no estado. Ontem, São Paulo registrou 468 mortes pela doença e, nesta quarta (3), atingiu 75,3% da ocupação de UTI (unidades de tratamento intensivo) —dois recordes desde o início da pandemia.

Segundo o governo paulista, nas últimas duas semanas foram internados, em média, 93 pacientes com a doença por dia. Uma projeção realizada pelo próprio governo apontou que o sistema de saúde entrará em colapso em 15 de março se um fato novo não alterar o rumo da pandemia no estado.

A equipe do governador João Doria (PSDB) pediu para que as pessoas só saiam de casa para atividades essenciais, usem máscaras e tenham cuidados de higiene.

Veja o que vai funcionar, de acordo com as declarações dadas na coletiva no Palácio dos Bandeirantes hoje:

Fecha

  • Shoppings, galerias e comércio de rua
  • Bares e restaurantes (só funcionam delivery ou drive-thru)
  • Salões de beleza e barbearias
  • Cinemas, teatros e casas de show
  • Universidades (só cursos de saúde funcionam)
  • Eventos, convenções e atividades culturais
  • Atividades com aglomeração
  • Academias de esporte e centros de ginástica
  • Concessionárias
  • Parques e zoológico

Abre

  • Farmácias e serviços de saúde
  • Mercados, supermercados e locais que vendam comida, mas sem consumo local
  • Escolas (só até 35% de ocupação) e cursos da área de saúde em universidades
  • Igrejas (até 30% de ocupação)
  • Construção civil e indústria
  • Lavanderias
  • Serviços de segurança pública e privada
  • Empresas de locação de veículos

Escolas permanecem abertas, para quem mais necessita

As escolas da rede estadual continuarão abertas para alunos que necessitarem de alimentação e suporte educacional, segundo o governo. Os estudantes que "mais necessitam" são:

  • Alunos com necessidade de alimentação escolar
  • Alunos com dificuldade de acesso à tecnologia e outros suportes
  • Alunos com "severa defasagem" de aprendizado
  • Alunos cujos responsáveis trabalhem em serviços essenciais
  • Alunos com saúde mental sob risco

As unidades de ensino municipais e particulares poderão ficar abertas, respeitando o limite legal de ocupação de 35%, a depender dos municípios e das empresas. A presença dos estudantes é opcional e pode seguir a decisão da família.

Poupatempo terá atendimento digital

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, disse que as unidades do Poupa tempo irão funcionar, "mas só com atendimento digital". "Foi feito trabalho grande para garantir que todos serviços fiquem disponíveis", afirmou. "Trabalho do Detran será feito com atendimento digital e drive-in. E agendamento para entrega."

Campeonatos de futebol poderão continuar

O médico José Osmar Medina, do Centro de Contingência, disse que os jogos de futebol devem continuar, mas sem plateia.

"Até esse momento, vamos seguir o mesmo modelo da Europa, onde vários países com lockdown mantiveram atividades esportivas sem plateia", comentou. "Essa atividade é bastante controlada e a população precisa de diversão nesse período muito duro."

Festas e praias

As festas e encontros com aglomeração estão proibidos. Segundo o governador João Doria, a polícia pode ser acionada para acabar com esse tipo de evento.

De acordo com o secretário estadual do Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, os prefeitos da Baixada Santista devem se reunir para discutir o controle às praias. "Fizemos recomendação de que praias são para atividades individuais, com máscara. É essa postura que pedimos e esperamos adesão majoritária, com parceria para superar esse momento."

Coronavírus