PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Prefeitura do Rio divulga novo calendário para 2ª dose da CoronaVac

Enfermeira prepara dose da vacina CoronaVac; Rio de Janeiro tem novo calendário para 2ª dose do imunizante - IGOR DO VALE/ESTADÃO CONTEÚDO
Enfermeira prepara dose da vacina CoronaVac; Rio de Janeiro tem novo calendário para 2ª dose do imunizante Imagem: IGOR DO VALE/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo*

03/05/2021 08h25

A Prefeitura do Rio de Janeiro informou em nota um novo calendário para aplicação da segunda dose da Coronavac. No sábado (1º), o município anunciou que iria adiar a vacinação por dez dias, após o estoque do imunizante ter se esgotado. Ontem, a secretaria municipal de Saúde confirmou a retomada do calendário após o recebimento de 17 mil doses da vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

Pessoas com 67 anos ou mais poderão receber a segunda dose a partir da próxima terça-feira (4). A vacinação com a segunda dose de Coronavac para acamados e idosos acima de 70 anos já tinha sido mantida para hoje.

No sábado (8) será a vez daqueles com 66 anos ou mais. O calendário do município prevê a segunda dose de idosos com 65 anos e 64 anos para o dia 13 de maio e os de 63 a 61 anos para o dia 17.

Em entrevista à TV Globo, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse que com o novo calendário o atraso na aplicação da segunda dose da CoronaVac será de no máximo 10 dias em relação ao recomendado.

O município alega que tinha uma reserva técnica para garantir a imunização completa, mas que a falta de novas remessas da CoronaVac fez o estoque diminuir gradualmente até ser necessária a revisão do calendário.

Outras oito capitais também suspenderam a aplicação da segunda dose da vacina fabricada apelo Instituto Butantan: Aracaju (SE), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Porto Velho (RO) e Recife (PE).

Segundo os municípios, as mudanças na orientação do Ministério da Saúde ocasionaram a falta do imunizante contra a covid-19. Além disso, o atraso no envio de IFA (Instituto Farmacêutico Ativo) pela China atrasou o cronograma de entrega previsto pelo Butantan.

O Ministério da Saúde tem mudado com frequência as orientações sobre a vacina contra covid-19. Em fevereiro, Eduardo Pazuello, então ministro da Saúde, orientou os municípios a usar todo o estoque de vacina. No entanto, dias depois, a pasta fez uma nova orientação e pediu que as prefeituras reservassem a segunda dose da CoronaVac.

As mudanças nas orientações não pararam por aí. Em março, a pasta da Saúde autorizou que as cidades usassem todas as vacinas armazenadas para segunda dose como primeira dose.

Com essa última orientação, vários municípios acabaram zerando seus estoques e, diante do atraso na entrega de novos lotes, não conseguiram suprir a demanda pela segunda dose.

O Instituto Butantan já retomou a produção e na última semana voltou a entregar doses da CoronaVac ao PNI (Plano Nacional de Imunização).

Ministério orienta tomar segunda dose mesmo que seja fora do prazo

Nesta semana, a pasta liderada por Queiroga informou pelo PNI que os brasileiros devem tomar a segunda dose da vacina da covid-19 mesmo que a aplicação aconteça fora do prazo.

O atraso não é recomendado, já que há risco da pessoa contrair o vírus enquanto aguarda a aplicação. A CoronaVac deve ter a aplicação da segunda dose no intervalo de quatro semanas. Já a AstraZeneca/Fiocruz tem intervalo de 12 semanas.

Veja o novo calendário para 2ª dose da CoronaVac no Rio de Janeiro:

  • 3/5 - idosos com 70 anos ou mais
  • 4/5 - idosos com 67 anos ou mais
  • 8/5 - idosos com 66 anos
  • 13/5 - idosos com 65 e 64 anos
  • 17/5 - idosos com 63, 62 e 61 anos

Com informações da Estadão Conteúdo.

Coronavírus