Após fuga de Aleppo, mais de 60.000 sírios ficam bloqueados na fronteira com Jordânia

Em Amã

  • Khalil Mazraawi/AFP

    Soldado jordaniano monta guarda enquanto refugiados sírios chegam a chegam a campo na fronteira entre a Jordânia e a Síria

    Soldado jordaniano monta guarda enquanto refugiados sírios chegam a chegam a campo na fronteira entre a Jordânia e a Síria

Mais de 64.000 sírios estão bloqueados na fronteira de seu país com a Jordânia após a intensificação da violência em Aleppo (norte), disse nesta quinta-feira (5) a polícia de fronteiras.

O reino impôs medidas adicionais de segurança nas passagens de Hadalat e de Rokbane, uma zona desértica localizada no norte da Jordânia.

Segundo a ONU, a Jordânia acolhe mais de 600.000 refugiados sírios, mas as autoridades estimam este número em quase 1,4 milhão de pessoas.

Amã havia estimado em cerca de 16.000 o total de sírios bloqueados na fronteira em janeiro, um número que aumentou a 50.000 em meados de abril.

A Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR) pediu à Jordânia que "pare de bloquear pessoas que passam meses em zonas fronteiriças remotas", e que as transfira rapidamente aos centros de trânsito.

No entanto, a Jordânia alega razões de segurança para explicar a lentidão do processo, já que teme que membros do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) se infiltrem entre os refugiados.

O conflito sírio, que deixou mais de 270.000 mortos, obrigou mais da metade da população a fugir do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos