ONU exige investigação do bombardeio a campo de refugiados na Síria

Em Nova York

  • Reprodução/Twitter

O diretor de Operações Humanitárias da ONU defendeu, nesta quinta-feira, uma investigação imediata do bombardeio aéreo de um campo de civis deslocados no norte da Síria, que deixou pelo menos 28 mortos.

"Se se descobrir que este ataque obsceno tinha como alvo deliberado uma estrutura civil, pode constituir um crime de guerra", disse Stephen O'Brien, o mais alto encarregado da ONU para assuntos humanitários.

Pelo menos 28 civis, incluindo mulheres e crianças, morreram nos bombardeios aéreos no campo perto de Sarmada, na província de Idleb. Eles haviam fugido da região vizinha de Aleppo, em meio aos sangrentos confrontos.

Essa província, perto da fronteira com a Turquia, é controlada pela Frente Al-Nosra - a filial síria da rede Al-Qaeda - e seus aliados rebeldes.

"Estou horrorizado e chocado pela notícia de civis mortos hoje por bombardeios aéreos em dois assentamentos, onde pessoas refugiadas buscavam um santuário", disse O'Brien.

Milhares de sírios fugiram dos combates no norte da província nas últimas semanas, e acampamentos foram montados para os refugiados ao longo da fronteira turca.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos