Observadora da Osce sofre assédio sexual em território separatista na Ucrânia

Uma observadora da Osce (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa) foi "assediada sexualmente" por um homem armado em território separatista no leste da Ucrânia, informou a organização neste domingo (7).

"Um homem armado com um rifle assediou sexualmente uma mulher da patrulha, ameaçando impedi-la de seguir (...) até que suas exigências fossem atendidas", declarou a OSCE, em um comunicado.

A patrulha "deixou a área e tomou um caminho diferente", aponta o comunicado, que não especificou quando o incidente ocorreu.

Uma porta-voz da OSCE, única organização internacional presente no leste da Ucrânia, confirmou à "AFP" que o incidente ocorreu no território separatista pró-russo.

A OSCE já havia decidido em abril restringir suas patrulhas na região em guerra após a morte de um colaborador, um médico americano morto pela explosão de uma mina.

Cerca de 600 observadores da OSCE são responsáveis por monitorar o cumprimento do acordo de paz no leste da Ucrânia, onde mais de 10.000 pessoas foram mortas desde que o conflito começou em abril de 2014.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos