PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Tribunal ordena que ex-presidente Humala e sua mulher sejam liberados

26/04/2018 15h42

Lima, 26 Abr 2018 (AFP) -









O Tribunal Constitucional do Peru revogou, nesta quinta-feira (26), a prisão preventiva do ex-presidente Ollanta Humala e sua mulher, e ordenou que seja liberado da prisão para aguardar em liberdade o processo por supostamente ter recebido dinheiro da brasileira Odebrecht para sua campanha, informou seu advogado.

"Amigos, conseguimos! O TC decidiu a favor do habeas corpus de Ollanta Humala e Nadine Heredia e eles serão libertados", tuitou César Nakazaki, advogado do casal.

Humala e sua mulher estão presos há mais de nove meses a pedido da Procuradoria, enquanto recolhia informações e provas para acusá-los de lavagem de dinheiro - por ter recebido 3 milhões de dólares da empreiteira para sua campanha eleitoral de 2011.

Os Humala apresentaram neste ano um recurso de amparo (habeas corpus) para enfrentar o processo em liberdade.

Os 3 milhões de dólares foram entregues a Humala a pedido do Partido dos Trabalhadores, segundo depoimento do ex-diretor da Odebrecht no Peru, Jorge Barata, a procuradores peruanos.

"Os julgamentos serão enfrentados em liberdade", tinha afirmado mais cedo o advogado Nakazaki.

No âmbito da investigação, o juiz Richard Concepción Carhuancho ordenou 18 meses de prisão preventiva contra ambos em julho passado, enquanto a investigação avançava.

Humala governou o Peru de 2011 a 2016 e é um dos quatro ex-presidentes do país investigados pelo escândalo de corrupção com a Odebrecht - mas o único preso.

Os outros investigados são Pedro Pablo Kuczynski, Alan García e Alejandro Toledo. Este último enfrenta um pedido de extradição dos Estados Unidos.

Internacional