PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Guarda-costas pessoal do rei da Arábia Saudita é morto por amigo

Em outubro de 2017, o general Abdel Aziz al-Fagham (à esquerda) protege o rei Salman bin Abudulaziz al-Saud em sua chegada a Moscou - Alexander Nemenov/ AFP
Em outubro de 2017, o general Abdel Aziz al-Fagham (à esquerda) protege o rei Salman bin Abudulaziz al-Saud em sua chegada a Moscou Imagem: Alexander Nemenov/ AFP

Da AFP

Em Riade

29/09/2019 09h19

O guarda-costas pessoal do rei Salman da Arábia Saudita, o general Abdel Aziz al-Fagham, foi morto por um de seus amigos durante uma "briga pessoal" em Jidá, informou a polícia saudita neste domingo (29).

Um porta-voz da polícia, citado pela agência oficial SPA, acrescentou que o autor do crime foi abatido por policiais.

O caso ocorreu na noite de sábado, quando o general Fagham visitava um amigo que estava recebendo vários convidados em sua casa em Jidá, grande cidade portuária do oeste da Arábia Saudita, segundo o porta-voz.

Após uma "discussão" verbal, um dos convidados, também amigo de Abdel Aziz Fagham, saiu da casa antes de retornar com uma arma, abrindo fogo contra o general e ferindo-o mortalmente.

Ele também feriu duas outras pessoas, incluindo outro saudita e um empregado filipino, antes de se esconder e trocar tiros com policiais, de acordo com o porta-voz da polícia. Ele foi morto a tiros e cinco policiais ficaram feridos, segundo a mesma fonte.

"O general Abdel Aziz al-Fagham, guarda-costas do rei Salman está morto", informou o jornal Saudi Gazette. A televisão estatal Al-Ekhbariya afirmou que ele foi morto em "uma troca de tiros em Jidá durante uma disputa pessoal".

A silhueta do general, alto e esbelto, observando atentamente o governante saudita, é familiar aos sauditas. Ele foi descrito nas redes sociais como a "bengala do rei", de 83 anos, e que costumava se apoiar nele para caminhar.

Sua morte provocou muitas reações nas redes sociais, com vários sauditas lamentando o falecimento do "anjo da guarda" do rei Salman.

"A notícia de sua morte caiu como uma bomba e surpreendeu os sauditas, que estão tristes com seu assassinato", escreveu o jornal Okaz, em sua versão online.

O general Fagham será enterrado neste domingo à noite na cidade sagrada de Meca (oeste), após a oração noturna, segundo a imprensa saudita.

De acordo com Okaz, o general Fagham substituiu seu pai como guarda pessoal do falecido rei Abdullah, que morreu em 2015. Ele foi então encarregado de proteger o rei Salman quando este sucedeu seu meio-irmão.

Seu pai, Baddah, protegeu o rei Abdullah por três décadas.

O jornal chamou o general Fagham de "o mais famoso dos guardas reais", elogiando sua vigilância e tato.

Ele lembra que foi um dos colaboradores mais próximos do rei Salman, a quem acompanhou em todos os seus movimentos, dentro e fora do reino.

Internacional