PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

União Europeia deve buscar um "contato direto" com a Rússia, diz Merkel

Arquivo - "A União Europeia deve buscar formas de negociar com Moscou", disse a chanceler - Kay Nietfeld/ REUTERS
Arquivo - "A União Europeia deve buscar formas de negociar com Moscou", disse a chanceler Imagem: Kay Nietfeld/ REUTERS

Em Berlim

24/06/2021 08h05

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou hoje que a UE (União Europeia) deve buscar um "contato direto" com a Rússia e seu presidente, Vladimir Putin, e "criar mecanismos" para responder em conjunto às "provocações" de Moscou.

"Não basta que o presidente americano converse com o presidente russo. Eu celebro isto, mas a União Europeia deve buscar formas de negociar com Moscou", disse a chanceler na Câmara Baixa do Parlamento, o Bundestag.

"Temos que criar mecanismos para poder responder em conjunto e de forma unânime às provocações e ataques russos", insistiu.

Hoje, os líderes da UE conversarão sobre suas relações com a Rússia e sobre a maneira de dialogar com Putin, em uma reunião de cúpula em Bruxelas.

Após o encontro dos presidentes da Rússia e Estados Unidos na semana passada em Genebra, governantes europeus, incluindo Merkel e o presidente francês Emmanuel Macron, consideram necessário organizar reuniões com Putin para abordar temas de interesse para a UE, segundo fontes europeias.

"Temos que definir uma agenda de interesses estratégicos comuns, por exemplo no âmbito da proteção do clima, mas também em temas como paz e segurança", disse Merkel, que citou como exemplos as situações na Síria ou Líbia.

As relações entre UE e Rússia estão em crise desde a anexação da Crimeia e o início do conflito na Ucrânia em 2014.

A UE determinou sanções econômicas e a Rússia respondeu com represálias. Nenhum encontro foi organizado entre Putin e os líderes europeus, porque o presidente russo prefere as reuniões bilaterais com alguns dirigentes, com o desejo de dividir o bloco, segundo o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell.

Internacional