PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Comandante dissidente das Farc morre na Venezuela, diz imprensa colombiana

Imagem de arquivo de membros das Farc atirando durante treinamento na Colômbia;  um dos comandantes das dissidências das Farc foi morto na Venezuela - Federico Rios Escobar/The New York Times
Imagem de arquivo de membros das Farc atirando durante treinamento na Colômbia; um dos comandantes das dissidências das Farc foi morto na Venezuela Imagem: Federico Rios Escobar/The New York Times

Em Bogotá

06/12/2021 07h28

"El Paisa", um dos comandantes das dissidências das Farc e temido ex-combatente desta guerrilha, foi morto por outros rebeldes na Venezuela, informou a imprensa colombiana.

Com base em fontes dos serviços de inteligência dos dois países, vários meios de comunicação afirmaram que o líder guerrilheiro foi vítima de uma emboscada no estado fronteiriço de Apure, no oeste.

O jornal El Tiempo informou que Hernán Darío Velásquez ("El Paisa") "foi morto por um comando armado que o teria atacado com rajadas de fuzil e explosivos".

Os governos do presidente colombiano Iván Duque e do venezuelano Nicolás Maduro confirmaram a informação. O exército da Colômbia afirmou que não estava a par do tema.

"Fontes venezuelanas confirmaram a SEMANA que Hernán Darío Velázquez, conhecido como El Paisa (...) morreu em um ataque no país vizinho", escreveu a revista em seu site.

Temido comandante que durante anos liderou a força de elite das Farc, Velásquez se afastou em 2018 do acordo de paz de 2016 que desarmou a outrora guerrilha mais poderosa da América.

Apesar de ter sido um dos negociadores do pacto, em 2019 ele reapareceu com uniforme camuflado ao lado de Iván Márquez, ex-número dois das Farc, e Jesús Santrich, influente rebelde, para anunciar seu retorno às armas na denominada Segunda Marquetalia.

O governo conservador de Duque denunciou diversas vezes que o grupo recebe proteção de Maduro, o que Caracas nega.

ONGs colombianas e venezuelanas afirmam que o grupo enfrentaria na região os homens comandados por "Gentil Duarte", outro dissidente.

Na terça-feira passada, o governo dos Estados Unidos incluiu esta organização ilegal na lista de grupos terroristas estrangeiros. A ONG Indepaz calcula que possui quase 2 mil membros.

"'El Paisa' teria falecido em um ataque pela disputa na Venezuela do controle das zonas de narcotráfico", afirmou o canal NTN24.

Velásquez ficou famoso na Colômbia pelas ações armadas que planejou no comando da denominada coluna Teófilo Forero.

Por suas ordens, as Farc detonaram um carro-bomba no clube social El Nogal, em uma área exclusiva de Bogotá, que deixou 36 mortos e dezenas de feridos em fevereiro de 2003.

Por informações sobre seu paradeiro, o governo colombiano oferecia até US$ 750 mil (cerca de R$ 4,2 milhões) de recompensa. Ele tinha 10 condenações por homicídio e terrorismo, e 27 por sequestro.

Internacional