PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Gasoduto alemão-russo será afetado em caso de invasão russa na Ucrânia

7.set.2020 - Placa direciona para a entrada da instalação de aterramento da linha de gás Nord Stream 2 em Lubmin, no nordeste da Alemanha - Odd Andersen/AFP
7.set.2020 - Placa direciona para a entrada da instalação de aterramento da linha de gás Nord Stream 2 em Lubmin, no nordeste da Alemanha Imagem: Odd Andersen/AFP

27/01/2022 09h19Atualizada em 27/01/2022 10h24

A Rússia se expõe a importantes "consequências" em caso de uma invasão da Ucrânia, com um pacote de sanções preparado pelos países ocidentais que incluem o polêmico gasoduto alemão-russo Nord Stream II, disse a chefe da diplomacia alemã Annalena Baerbock nesta quinta-feira (27).

"Estamos trabalhando em um forte pacote de sanções" com os aliados ocidentais neste caso, que cobre vários aspectos "incluindo Nord Stream II", disse a ministra Annalena Baerbock à Câmara dos Deputados.

Esse gasoduto, pelo qual deve transitar gás russo para a Alemanha e outros lugares da Europa através do mar Báltico, evitando a Ucrânia, foi concluído. Mas seu lançamento continua bloqueado pelo órgão regulador de energia alemão por razões jurídicas.

A ministra das Relações Exteriores esclareceu então a posição alemã sobre este assunto, após uma atitude ambígua nas últimas semanas sobre este tema crucial.

O governo de coalizão alemão, formado por social-democratas mais favoráveis a uma abordagem conciliadora com Moscou, ambientalistas e liberais defensore de uma linha mais dura, teve uma posição pouco clara sobre o gasoduto.

O chanceler Olaf Scholz se referiu a um "projeto privado" que não deve se misturar com questões políticas, mas também mencionou um acordo do início do ano passado entre Berlim e Washington, que prevê deter o projeto em caso de agressão militar contra a Ucrânia.

Internacional