Conteúdo publicado há 1 mês

Rússia lança mísseis e drones contra instalações energéticas na Ucrânia

A Rússia disparou um total de 100 mísseis e drones contra a Ucrânia durante a noite em instalações de energia em todo o país, disseram autoridades ucranianas neste sábado. 

"O inimigo lançou 53 mísseis de vários tipos e 47 drones de ataque", disse a Força Aérea, que afirmou ter derrubado 35 dos mísseis e todos os drones, exceto um. 

Duas usinas termelétricas foram danificadas no ataque, informou a empresa de energia DTEK, sem especificar sua localização. 

"Foi mais uma noite extremamente difícil para o setor energético ucraniano. O inimigo atacou duas das nossas centrais térmicas. O equipamento foi gravemente danificado", afirmou a empresa no Telegram.

Desde que a invasão russa da Ucrânia começou, há dois anos, a Rússia lançou centenas de ataques aéreos contra instalações elétricas no país. 

Segundo o ministro da Energia ucraniano, German Galushchenko, a Rússia atacou instalações nas regiões de Donetsk, Dnipropetrovsk, Kirovograd, Ivano-Frankivsk e Zaporizhzhia.

O Ministério advertiu que, como resultado, provavelmente haveria restrições de eletricidade na noite deste sábado.

O presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, por sua vez, garantiu nas suas redes sociais que "o principal objetivo da Rússia é normalizar o terror, explorar a falta de defesa aérea suficiente e a determinação dos parceiros da Ucrânia".

Em seu relatório diário, o Ministério da Defesa da Rússia declarou que lançou um ataque contra "instalações de energia ucranianas que apoiam o trabalho de empresas do complexo militar-industrial". 

Continua após a publicidade

Os ataques foram realizados "em resposta às tentativas do regime de Kiev de danificar as instalações russas de energia e transporte". 

O Exército ucraniano alega atacar refinarias e instalações militares em território russo em retaliação aos ataques diários às suas cidades e à rede de energia. 

Enquanto isso, o número de mortos no ataque russo à cidade de Kharkiv na sexta-feira subiu para nove, disse o governador regional Oleg Sinegubov, depois que dois corpos foram encontrados nos escombros.

bur-jc/pc/meb/aa/dd 

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes