PUBLICIDADE
Topo

Helena Witzel diz que operação da PF no Rio teve motivação política

O governador do Rio, Wilson Witzel e a esposa Helena Witzel no Carnaval - Graça Paes/AgNews
O governador do Rio, Wilson Witzel e a esposa Helena Witzel no Carnaval Imagem: Graça Paes/AgNews

Fabio Grellet

Rio

26/05/2020 18h57

A advogada Helena Witzel, mulher do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), manifestou-se em nota sobre as ações de busca e apreensão realizadas em seu escritório e em sua casa durante operação da Polícia Federal para investigar irregularidades em contratos de fornecedores com o governo do Estado do Rio.

A advogada confirmou ter prestado serviços ao empresário Mário Peixoto, mas disse que a diligência não encontrou nada que pudesse comprovar irregularidades e classificou a operação como "imbuída de indisfarçada motivação política".

"Sobre a ação de busca e apreensão realizada no escritório e em sua atual residência, a advogada Helena Witzel, responsável pelo escritório HW Assessoria Jurídica, esclarece que: 1 - A diligência nada encontrou que pudesse comprovar alegações de seus requerentes", começa a nota.

"2 - A HW Assessoria Jurídica prestou serviços para a empresa apontada pelo MPF, tendo recebido honorários, emitido nota fiscal e declarado regularmente os valores na declaração de imposto de renda do escritório; 3 - A advogada Helena Witzel reitera seu respeito às instituições, mas lamenta que a operação tenha sido imbuída de indisfarçada motivação política, sendo sintomático, a esse respeito, que a ação foi antecipada na véspera por deputada federal aliada do presidente Jair Bolsonaro", conclui o texto.

A deputada federal a que a advogada se refere é Carla Zambelli (PSL-SP), que ontem disse em entrevista a uma emissora de rádio que "já tem alguns governadores sendo investigados pela Polícia Federal" e antecipou que haveria operações da PF.

Política