PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Delegados de Polícia de SP vão à Alesp contra Isa Penna por 'quebra de decoro'

A deputada Isa Penna - José Antonio Teixeira/Alesp
A deputada Isa Penna Imagem: José Antonio Teixeira/Alesp

Pepita Ortega e Fausto Macedo

São Paulo

24/06/2022 15h16

O Sindicato dos Delegados de Policia do Estado de São Paulo apresentou à Assembleia Legislativa de São Paulo nesta quinta-feira, 23, uma representação contra deputada Isa Penna atribuindo à parlamentar 'conduta desrespeitosa e acintosa' ao questionar o delegado Fernando Carvalho Gregório sobre o fato de não ter prendido em flagrante o procurador municipal Demétrius Oliveira de Macedo pelo espancamento da procuradora-geral de Registro Gabriela Samadello Monteiro de Barros.

Como mostrou o Estadão, Isa Penna foi à Delegacia confrontar o delegado antes de a Polícia Civil prender Demétrius, o que ocorreu na manhã desta quinta-feira, 23. O Ministério Público de São Paulo denunciou o procurador por tentativa de feminicídio, com qualificadora de recurso que dificultou a defesa da vítima, coação do curso do processo e injúria.

Vídeo registrou a parlamentar afirmando: "Você tá me dizendo que você olhou pra cara daquela mulher que está com o olho roxo, que nunca vai esquecer isso na vida dela, e você mandou ela pra casa e liberou o agressor dela. É isso que você está me dizendo? Sem pedir uma medida protetiva que fosse. E você se chama de servidor público? Você acredita que você está servindo a quem aqui?".

"O meio utilizado pela parlamentar para se insurgir contra as providências de Polícia Judiciária tomadas acerca dos fatos é inadmissível, totalmente inadequado e ultrapassou os limites da imunidade e prerrogativa do seu mandato, infringem patentemente o Código de Ética e Decoro Parlamentar da Casa Legislativa que representa", registra trecho da representação.

O documento é subscrito pelo delegado José Vicente de A. Pires Barreto Fonseca, em exercício na presidência. Ele alega que, ante a repercussão negativa do caso e a 'grande publicidade do vídeo em que Isa Penna destrata o delegado' houve quebra de decoro.

"Há na conduta da deputada inquestionável ofensa à dignidade não somente das autoridade policiais civil, mas à toda Polícia Civil e aos funcionários públicos estaduais, sendo ainda mais grave se levarmos em consideração que o delegado de Polícia oficiante estava em seu turno de trabalho e presidindo os atos de Polícia Judiciária quando abordado de maneira indevida, acintosa, ofensiva e indecorosa por parte da representada", diz a representação.

No caso em questão, quando a procuradora-geral de Registro Gabriela Samadello Monteiro de Barros foi registrar boletim de ocorrência sobre as agressões sofridas dentro da prefeitura na segunda-feira, 20, Demétrius Oliveira de Macedo foi liberado, apesar de os golpes deferidos por ele contra sua chefe terem sido registrados em vídeo, gravação que viralizou nas redes sociais.

Após a repercussão do caso, o Ouvidor das Polícias de São Paulo, Elizeu Soares Lopes, apresentou à chefia da corporação uma requisição para prender o procurador municipal. Ele disse que a medida é necessária para "salvaguardar o direito da vítima".

Em seguida, o delegado Daniel Vaz Rocha, do 1º Distrito Policial da cidade representou contra Demétrius perante à Justiça de Registro, alegando que o procurador 'vem tendo sérios problemas de relacionamento com mulheres no ambiente de trabalho, sendo que, em liberdade, expõe a perigo a vida delas, e consequentemente, a ordem pública'.

O pedido foi acatado pelo juiz Raphael Ernane Neves, da 1ª Vara da Comarca da cidade a 190 quilômetros da capital paulista, que decretou a prisão preventiva do procurador. Nesta quinta-feira, 23, Demétrius foi localizado em uma clínica médica em Itapecerica da Serra, na região metropolitana de São Paulo.

COM A PALAVRA, ISA PENNA

A reportagem entrou em contato com a assessoria da deputada, que informou que o gabinete ainda não foi notificado. O espaço está aberto para manifestações.

Política