Turquia defende diante do G20 sua adesão aos valores democráticos

Em Chengdu (China)

O governo da Turquia defendeu neste sábado (23), perante o G20 sua adesão aos valores democráticos e ao Estado de Direito, após declarar esta semana o estado de emergência no país por conta da fracassada tentativa de golpe da semana passada.

"Apesar do que aconteceu há uma semana na Turquia, vamos continuar aderir aos valores democráticos e aplicar a regra da lei", disse Mehmet Simsek, vice-primeiro-ministro de Finanças turco, em um fórum na cidade chinesa de Chengdu, antes da reunião dos ministros de Finanças e governadores dos bancos centrais do G20.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, proclamou na última quarta-feira o estado de emergência durante três meses, como resposta ao fracassado golpe.

"Na realidade, nada mudou muito", afirmou o vice-ministro, que reconheceu existir "pontos de interrogação" pela situação na qual encontra seu país.

"Alguns de nossos amigos e aliados europeus também aplicam o estado de emergência e as pessoas estão mais relaxadas sobre isso", afirmou Simsek.

Desde o fracassado golpe do último dia 15, mais de 11 mil pessoas foram presas, enquanto cerca de 44,5 mil funcionários públicos foram suspensos de seus empregos.

Simsek realizou estas declarações em seu discurso em um simpósio sobre políticas fiscais, em Chengdu, como uma preliminar para o início, hoje, do encontro financeiro das principais economias desenvolvidas e emergentes do mundo realizado na cidade chinesa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos