PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Governo de Maduro atribui novos blecautes a dois ataques terroristas

A crise do governo de Nicolás Maduro carrega um dilema para a esquerda da América do Sul - Getty Images
A crise do governo de Nicolás Maduro carrega um dilema para a esquerda da América do Sul Imagem: Getty Images

31/03/2019 01h00

O governo de Nicolás Maduro responsabilizou neste sábado dois novos ataques terroristas tanto pelo blecaute que aconteceu hoje em toda a Venezuela como pelo que aconteceu ontem, em uma semana durante a qual o país não conseguiu recuperar o fornecimento normal de energia.

"O governo bolivariano (...) denuncia a infame e brutal perpetração de dois ataques programados e sincronizados contra o sistema elétrico nacional", afirmou o ministro de Comunicação, Jorge Rodríguez, ao ler um comunicado divulgado pela emissora estatal de televisão "VTV".

"De maneira nada fortuita aconteceram novos ataques coordenados e sincronizados contra as linhas de transmissão elétrica. Estes ataques ocorreram na mesma hora, às 19h11 (20h11 de Brasília)", disse Rodríguez em alusão às duas quedas da eletricidade, a de ontem e a de hoje.

Segundo o ministro, estes supostos ataques buscam "obstruir de maneira criminosa e homicida os imensos esforços do governo revolucionário, dos trabalhadores, do povo todo para estabilizar o serviço de energia elétrica".

A Venezuela acumula desde segunda-feira uma série de blecautes que vieram paralisando praticamente todo o país e que fizeram com que apenas na sexta-feira houvesse atividade comercial e empresarial.

Os dois primeiros blecautes aconteceram na segunda-feira e o sistema não voltou a restabelecer-se totalmente desde então, com afetações em todo o país, especialmente nos estados ocidentais.

O governo atribuiu os blecautes a um primeiro ataque terrorista contra uma linha de transmissão e a um incêndio posterior no pátio de transformadores da central elétrica de Guri, a principal do país. Neste último caso, segundo a versão oficial, os danos foram causados pelos disparos de um franco-atirador contra os aparelhos.

O ministro afirmou que estes ataques se somam aos já registrados em 7 de março, quando o governo chavista disse que tinha havido um ataque cibernético e outro eletromagnético contra a central de Guri.

Rodríguez afirmou que as "atrozes agressões" de ontem e hoje ocorreram justo no momento em que o governo tinha conseguido a recuperação da eletricidade em todo o país.

Nesse sentido, assegurou que o governo de Maduro persistirá "teimosamente" no restabelecimento da energia e alcançará a "reparação e recuperação dos equipamentos danificados de forma selvagem por agentes do império supremacista do norte (em alusão aos Estados Unidos) e seus tristes e ajoelhados lacaios locais".

Por sua parte, a oposição atribuiu estes blecautes à corrupção e ao desvio dos milionários recursos destinados ao setor elétrico nos últimos anos, assim como à inaptidão dos responsáveis pelo governo.

Internacional