PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Esse conteúdo é antigo

Cristina pede à Justiça permissão para ir a Cuba visitar filha doente

Florença Kirchner está no Centro de Pesquisas Médicas Cirúrgicas (Cimeq) de Havana desde fevereiro - AFP
Florença Kirchner está no Centro de Pesquisas Médicas Cirúrgicas (Cimeq) de Havana desde fevereiro Imagem: AFP

28/10/2019 15h22

A ex-presidente e agora vice-presidente eleita da Argentina, Cristina Kirchner, pediu hoje à Justiça do país para viajar até Cuba, onde sua filha, Florença Kirchner, recebe tratamento médico.

Segundo a agência estatal "Télam", Cristina pediu a permissão para viajar na manhã de hoje, dia seguinte à vitória eleitoral da Frente de Todos, coalizão encabeçada por Alberto Fernández, sobre o atual presidente da Argentina, Mauricio Macri.

O pedido foi enviado aos tribunais orais 2 e 7 de Buenos Aires, que julgam Cristina pelos crimes de corrupção. Cada vez que precisa deixar o país para visitar a filha, que está sendo tratada desde fevereiro de um transtorno de estresse pós-traumático em Cuba, a ex-presidente precisa solicitar autorização judicial.

Esta será a sétima vez que Cristina visitará Florença em Cuba desde o início do tratamento. A última vez que a vice-presidente eleita da Argentina esteve no país foi no início de outubro. Agora, ela pediu que a viagem ocorra entre 1º e 11 de novembro.

Enquanto isso, Fernández discute com Macri a transição democrática do poder na Argentina. Hoje, o presidente eleito foi recebido pelo atual ocupante do cargo para um café da manhã na Casa Rosada para começar a discutir o processo.

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, parabenizou Alberto e Cristina pelo que chamou de "merecido triunfo" nas eleições presidenciais realizadas ontem na Argentina.

"Merecido triunfo que propicia uma derrota ao neoliberalismo. Parabéns querida Cristina e também para Alberto desde Cuba. A Pátria Grande está em festa", escreveu o presidente cubano, que está em visita de trabalho à Rússia, no Twitter.

Florença Kirchner está no Centro de Pesquisas Médicas Cirúrgicas (Cimeq) de Havana desde fevereiro. Ela havia viajado ao país para participar de um curso de roteiristas de cinema, mas seu estado de saúde piorou sensivelmente após o voo, e os médicos cubanos a proibiram de viajar de avião, o que impossibilita seu retorno à Argentina.

Cristina diz que os problemas de saúde de Florença foram provocados pela perseguição da Justiça à família Kirchner. Empresas que pertencem à ex-presidente estão no centro dos escândalos de corrupção investigados no país.

Internacional